Eis “Os Quatro Cavaleiros”: o ilusionista nato, J. Daniel Atlas (Jesse Eisenberg), o líder carismático; Merritt McKinney (Woody Harrelson), Henley Reeves (Isla Fisher) e Jack Wilder (Dave Franco). Oferecendo impressionantes espectáculos do que o público acredita serem de magia, os maiores ilusionistas do mundo desejam entreter e distrair o anfiteatro. Em um dos seus espectáculos, o truque principal consiste num assalto a um banco em Paris, a partir de Las Vegas, contrariando o espaço e o tempo.

 

São então perseguidos por uma equipa do FBI, liderada por Dylan Rhodes (Mark Ruffalo), pelo seu assalto que nada mais é do que uma simples distracção do verdadeiro truque. Pedindo auxílio a Thaddeus Bradley (Morgan Freeman), um ex-ilusionista, que desvenda agora os truques com que antes impressionava. Numa corrida contra o tempo, ambas as partes tentam levar avante o seu propósito e conseguir a devida explicação.

 

Com uma explicação concisa e coerente, o filme revela numa última parte a origem deste grupo de ilusionistas e os truques que estes conseguiram representar. Nada previsível e pouco monótono, é capaz de prender a atenção da audiência e de proporcionar momentos de divertimento, suspense e mistério. O enredo proporciona uma lógica de início a fim, e uma história envolvente.

“Prestem atenção. Pois quanto melhor julgarem estar a ver, menos verão na realidade.”