A “mobilização dos estudantes” para a Reunião Geral dos Alunos (RGA) é um dos principais objetivos apontados pelos candidatos das três listas concorrentes. As eleições para a mesa da RGA vão decorrer no próximo dia 3 de Dezembro, na Universidade do Minho (UM).

Em declarações ao ComUM, o candidato da lista F, Ricardo Rego, alegou que “os alunos não sabem o que é uma RGA (…) e irão depositar a confiança numa lista para a mesa de RGA sem saber o que a sigla significa”. Esta é uma opinião partilhada pela candidata da lista E, Inês Sampaio.

De modo a que os alunos possam ter um maior conhecimento das RGA e para que haja uma maior afluência, os candidatos das listas E e F afirmaram que as reuniões têm de ser mais divulgadas através de cartazes e panfletos. As redes sociais constituem também uma opção para o candidato da lista F. “Aumentar a taxa de participação” dos estudantes nas RGA é uma ideia também defendida pela candidata da lista D, Catarina Lima.

“A mesa de RGA tem de ser um bom representante dos estudantes e não apenas a mesa de RGA”. Este é um dos objetivos da candidatura da lista F. Já Inês Sampaio apontou como principal objetivo da Lista E “colocar as RGA ao serviço dos alunos, para que estes se envolvam na resolução dos seus problemas”.

A candidata da lista D afirmou que um dos objetivos da sua candidatura, além de procurar mudar a “atitude passiva dos estudantes em relação às RGA”, é “fazer uma revisão estatutária da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) “.

Catarina Lima, candidata pela lista D, frequenta o curso de Ciências da Comunicação, Inês Sampaio, da lista E, é aluna de Teatro e Ricardo Rego, líder da lista F, estuda Ciências do Ambiente.

A RGA é o órgão máximo da AAUM onde podem participar todos os estudantes da academia minhota.

Inês Mendes
Vera Ferreira