Realizaram-se nos últimos dois dias, sexta-feira e sábado, as “IX Jornadas de Enfermagem”, no Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), em Braga. “Complementaridades entre enfermagem e terapias não convencionais” deu o mote para a iniciativa.

As terapias não convencionais partem “de uma base filosófica com diagnósticos e terapias próprias”, que procuram “um bem maior, sem causar o mal”, explica a presidente da Associação de Estudantes da Escola Superior de Enfermagem Calouste Gulbenkian, Ana Silva.

A escolha deste assunto passou pela “promoção de temas e experiências ligadas a uma área que não está no plano curricular”, referiu a aluna do 4º ano de Enfermagem.

A iniciativa consistiu numa “auto formação para os alunos e alguns profissionais de saúde presentes no evento”, verificando-se uma grande “curiosidade a nível da aplicabilidade destas terapias”, acrescentou Ana Silva.

Para João Paulo Oliveira, aluno do 2ºano de Enfermagem, refletir sobre este tema deu-lhe “a possibilidade de adquirir novos conhecimentos” que poderá aplicar no final da licenciatura. O aluno destaca pela positiva “todas as oportunidades criadas nas atividades do evento”, cuja duração lhe pareceu insuficiente.

Estas jornadas contaram com a participação de “enfermeiros ligados à área, terapeutas, professores de Enfermagem da Universidade do Minho (UM), médicos e cerca de 130 alunos do respetivo curso”, informou Filipa Machado, aluna do 4º ano de Enfermagem e diretora do Gabinete Pedagógico da Associação de Estudantes do curso.

Alexandra Delgado
Daniela Soares