Quatro meses depois da última vitória os gilistas voltaram a celebrar. O Gil Vicente venceu esta tarde o Vitória de Setúbal por 1-0, golo marcado por César Peixoto na conversão de uma grande penalidade.

Numa tarde chuvosa em Barcelos, a primeira parte foi marcada por um equilíbrio de forças entre um Gil Vicente sedento de vitórias e um Vitória de Setúbal moralizado pelos recentes resultados.

Apesar do equilíbrio, as grandes oportunidades de golo pertenceram aos homens da casa. Logo a abrir a partida, aos sete minutos, Hugo Vieira, após um belo trabalho individual, rematou para o ângulo mais distante com Nélson Pedroso a cortar em cima da linha de golo.

O lance de maior perigo no primeiro tempo teve a assinatura de César Peixoto. Aos 34 minutos, na conversão de um livre em zona frontal, o médio atirou ao poste esquerdo da baliza sadina. Aos 40 minutos, Hugo Vieira, com a ajuda de um ressalto na relva, aplicou um chapéu a Kieszek, com o guarda-redes polaco a ter de se aplicar para segurar a bola.

O Vitória de Setúbal entrou melhor na segunda parte. Mas tanto do lado dos sadinos, como do lado dos gilistas, pouco se viu além de lances inconsequentes e mal concretizados.

Só nos últimos minutos houve emoção no Estádio Cidade de Barcelos. Primeiro o Setúbal, melhor em jogo, através de Ricardo Horta, que apareceu sem marcação na cara de Adriano, com o brasileiro a fazer uma excelente intervenção perante alguma displicência no desvio do extremo sadino.

Aos 72 minutos eis que surge o golo do Gil Vicente. Ózeia é imprudente na entrada sobre Hugo Vieira e o árbitro Carlos Xistra assinala a grande penalidade. César Peixoto, chamado à marcação, não perdoa e inaugura o marcador para gáudio dos adeptos gilistas.

Até final, destaque para a expulsão de Ózeia por acumulação de amarelos e para um golo anulado aos visitantes. Pedro Tiba bateu o canto direto e Adriano não conseguiu agarrar, colocando a bola no interior da baliza. Porém o árbitro apontou que a bola passou a linha de fundo, anulando o golo.

O jogo terminava com um triunfo sofrido do Gil Vicente, que regressou às vitórias quatro meses depois, recuperando fôlego para o último terço do campeonato. A equipa de João de Deus, com esta vitória, ascendeu ao 12º lugar, defrontando na próxima jornada o Paços de Ferreira, na capital do móvel.