O BC Barcelos interrompeu uma série negra de cinco jogos sem vencer, ao derrotar o Lusitânia, equipa que não perdia há três jornadas consecutivas, por 86-73.

O jogo era de enorme importância para os homens de Barcelos, porque se afigurava decisivo na luta pela permanência entre os grandes nomes do basquetebol português. A equipa de José Ricardo Neves terminou o primeiro tempo na frente do marcador, com o resultado de 27-23, fruto de uma excelente entrada conjugada com uma tremenda eficácia ofensiva.

Ambas as equipas mantiveram o jogo equilibrado até ao intervalo, mantendo-se a vantagem de quatro pontos favorável aos minhotos, registando-se um 41-37.

O terceiro período viria a ser fundamental para o desenrolar do encontro. O BC Barcelos entrou com uma defesa muito forte, elemento fulcral para desencadear contra-ataques, beneficiando da pontaria afinada dos seus jogadores. A quebra do coletivo do Lusitânia no terceiro período também contribui para a dilatação da vantagem, sendo que a equipa minhota chegou ao último período do jogo a vencer por 15 pontos (67-52).

Nos últimos dez minutos, o BC Barcelos geriu o jogo, muito devido ao bom trabalho de Rui Coelho e Nuno Oliveira, que foram os elementos em maior destaque nos 40 minutos deste encontro. Nuno Oliveira, com 16 pontos, três ressaltos e quatro assistências, foi mesmo o melhor jogador do encontro.