Fotogaleria:

[metaslider id=”2834″]

Três mortes é o resultado da queda de um muro na Rua do Vilar, nas imediações da Universidade do Minho. As vítimas mortais são estudantes de Engenharia Informática da academia minhota e têm idades compreendidas entre os 18 e os 21 anos. Há quatro feridos, um dos quais grave.

O reitor da UMinho, António Cunha, o presidente da AAUM, Carlos Videira, o presidente da CMBraga, Ricardo Rio e o vereador com o pelouro de ligação às universidades, Miguel Bandeira estiveram presentes no local.

As circunstâncias do incidente ainda estão por apurar. A polícia está a investigar o que poderá ter causado a derrocada.

Em declarações aos jornalistas, a pró-reitora para a comunicação da UMinho, Felisbela Lopes, recusou-se a comentar o assunto enquanto não forem apurados os factos relativos ao acidente. Já em comunicado, António Cunha, em nome da Universidade do Minho, “lamenta profundamente o sucedido, apresenta às famílias dos estudantes falecidos as suas mais sentidas condolências e exprime a sua solidariedade para com todos aqueles que foram afetados por esta tragédia”.

 

Autarquia garante que local estava intacto

Ricardo Rio, em declarações à comunicação social, garantiu que amanhá irá iniciar-se uma peritagem técnica ao local, sendo esta da responsabilidade de uma equipa da UMinho.

O autarca anunciou que o caso se encontra em averiguação para apurar os motivos do acidente.

Ricardo Rio adiantou ainda que a estrutura que aluiu estava intacta.

 

Peritagem técnica começou esta manhã

Equipas técnicas da CMBraga e da UMinho encontram-se desde o início da manhã de hoje no local do acidente na Praceta do Vilar para a peritagem técnica anunciada na noite de ontem pelo autarca bracarense. Decorre também neste momento na reitoria da universidade uma conferência de imprensa sobre o tema.