Sara Castro, ex-aluna da Universidade do Minho, foi distinguida pela Sociedade Portuguesa de Materiais (SPM) no âmbito do 14º Encontro Nacional do Colégio de Engenharia de Materiais. Em entrevista ao comUM, a jovem destaca a importância do prémio para a sua carreira profissional e para a instituição minhota.

O 1º Prémio do Dia Mundial dos Materiais foi entregue à antiga aluna da UMinho, na sequência da sua tese de mestrado. Contudo, a ideia que resultou neste projeto “começou a ser desenvolvida cerca de um ano antes”, explica Sara. Este trabalho teve como principal objetivo o desenvolvimento de um processo inovador que permite a criação de jóias de ouro e cerâmica com geometrias mais apelativas para os consumidores e para o setor de joalharia. A ligação química por processos de brasagem, usando formas mais complexas do que as geometrias planas habitualmente utilizadas, é a grande vantagem deste processo.

Sara Castro, de 23 anos, mestre em Engenharia de Materiais e natural da Póvoa de Varzim, assegura que este prémio é muito importante para a UMinho, pois prova que os investigadores desta universidade conseguem estar “ao nível de grandes investigadores, senão acima”. Para uma universidade com vários projetos de investigação distinguidos no panorama nacional e internacional, este prémio “é o manter de um ciclo”, admite a jovem.

Reconhecendo o impacto positivo que este prémio poderá ter na sua carreira profissional, Sara acredita que a distinção poderá ajudá-la a “conseguir uma bolsa de doutoramento”. Para já, a jovem quer dedicar-se a um estágio profissional.

No 14º Encontro Nacional do Colégio de Engenharia de Materiais foram organizados concursos com o intuito de distinguir os melhores trabalhos apresentados por estudantes finalistas do 2.º ciclo de cursos das áreas de Ciências e Engenharia.

 

Elsa Mota Pereira

Liliana Malainho

Renata Cunha