A 12ª edição do Bragacine – Festival Internacional de Cinema Independente de Braga teve uma fraca adesão dos estudantes universitários.

De acordo com a colaboradora do festival, Marta Jasmins, a participação do público-alvo, que são os estudantes, ficou aquém das expectativas, mesmo sendo a entrada gratuita. Por este motivo, a colaboradora afirma que no futuro irão apostar mais na divulgação online, com vista a dar mais visibilidade ao festival e, por conseguinte, captar uma maior adesão dos jovens.

O certame, que decorreu uma vez mais no campus de Gualtar, na Universidade do Minho, entre os dias 8 e 10 de Novembro, apresentou curtas e longas-metragens nacionais e internacionais.

Na edição deste ano destacou-se a presença e homenagem a John Hough, realizador do filme, também exibido no festival, ‘Triumphs of a Man Called Horse’. John Hough esteve por primeira vez em Braga durante o festival e disse ao ComUM que estava a gostar muito da cidade e do festival. Além disso, tendo o filme ‘The Human Race’ de Paul Hough, seu filho, feito parte do programa do festival, referiu que é interessante poder ver a diferença entre os trabalhos de ambos.

Este ano, o prémio de melhor filme foi para ‘O Cônsul de Bordéus’ de Francisco Manso, melhor curta-metragem para ‘Jigsaw’ de Basil Al-Safar, melhor argumento ‘O Apóstolo’, melhor realizador Francisco Manso, melhor actor Pedro Monteiro em ‘Jigsaw’ e melhor actriz Uxia Blanco em ‘Querido Tomás’. O prémio Augusta José Farinha foi entregue à curta-metragem ‘Estão a fazer um documentário sobre mim’.

 

 

Inês Viana

Tânia Quintas