Associar o Vitória à ascensão do basquetebol minhoto é algo inevitável. Desde 2008, ano em que a equipa vimaranense conquistou a Taça de Portugal e subiu à Liga Portuguesa de Basquetebol, que os Conquistadores têm assumido um papel de destaque no panorama nacional da modalidade.

Prova disso são as últimas duas temporadas, em que o clube minhoto alcançou o segundo posto do campeonato, após duas finais consecutivas perdidas para o Benfica. Mas se estamos a falar dos últimos sucessos da equipa vitoriana, não nos podemos esquecer de um nome: Fernando Sá.

O treinador está ligado aos maiores feitos alcançados pelo Vitória, desde a conquista de duas Taças de Portugal, passando pelos dois segundos lugares conquistados nos últimos dois anos. Em jeito de balanço da temporada transata, Fernando Sá afirma que “a época foi positiva, pois a equipa esteve sempre nas fases de decisão”, destacando “a hipótese de lutar pelo título”, mesmo sabendo que seria “uma tarefa complicada derrotar o Benfica em três jogos”.

Para esta nova época, o Vitória apostou na continuidade de jogadores como Paulo Cunha, João Balseiro, João Guerreiro ou Marcel Momplaisir, elementos que já estão identificados com a cultura do clube e que garantem solidez na manobra da equipa. Apesar disso, o clube perdeu alguns jogadores importantes, tais como os internacionais portugueses Pedro Pinto e José Silva, o que obrigou Fernando Sá a procurar soluções durante o defeso.

Desta forma, o Vitória apostou em Brett Ervin (ex-Univ.Minnesota) e Anthony James (ex-Ciudad Victoria), dois jogadores norte-americanos que vêm reforçar as posições de extremo-poste e base-extremo, respetivamente. Já no mercado nacional, o clube vitoriano assegurou as contratações do internacional português Rui Quintino (ex-Algés) e dos jovens Pedro Catarino (ex-Maia Basket) e Francisco Santos (ex-Sampaense), procurando criar um núcleo duro que combine juventude e experiência.

Com estas mexidas na base da equipa, Fernando Sá alerta que “o plantel ainda está em fase de construção” e que “vai demorar algum tempo para as rotinas estarem bem consolidadas”. Ainda assim, a confiança continua a ser um sentimento bem presente no balneário do clube minhoto.

Paulo Cunha, um dos jogadores mais experientes da equipa, dá voz a essa ambição, garantindo que “podemos esperar um Vitória assente na filosofia do clube e do treinador, focado na luta pelos primeiros lugares e com muita vontade de vencer todas as competições onde está inserido”.

Será com essa mentalidade que o Vitória vai encarar a estreia na edição 2015/2016 da Liga Portuguesa de Basquetebol, numa jornada em que a equipa minhota se desloca ao terreno do Benfica, atual campeão nacional. Na opinião de Fernando Sá, este “não é o melhor momento para defrontar o Benfica, por ser uma equipa que joga junta há muito tempo”, lembrando que “o Vitória é uma equipa em fase de construção, visto que entraram 5 jogadores novos”.

No entanto, esses fatores “não vão tirar a vontade de vencer e a ambição”, pelo que o treinador minhoto realça que “o Vitória vai lutar por esse objetivo que passa por vencer o Benfica”. O jogo tem data marcada para este sábado, pelas 16 horas, e terá transmissão televisiva (BTV).