Tendo em conta todo o historial desta saga, sabemos antecipadamente que qualquer um dos filmes que a compõe nos vai entreter e colar ao ecrã. Não por trazer algo novo em termos de conteúdo, pois se analisarmos todos os filmes da saga conseguimos facilmente perceber que está presente a mesma ideia em todos eles (as personagens têm um plano, vão a um sitio qualquer do planeta e algo corre mal), mas por mudar o conceito de “acção”como o conhecemos.

Não sendo excepção ao resto da saga “Velocidade Furiosa 7” surge como “algo que correu mal”: Dominic Toretto (Vin Diesel) e a sua equipa regressam a casa após uma missão em Londres. Contudo, apesar de não saberem, os problemas regressam com eles. Deckard Shaw  (Jason Statham) jura vingança aos que colocaram o irmão numa cama de hospital e, por isso, dá início a uma caça aos membros da equipa de  Dom que vê mesmo a sua casa destruída e a família colocada em perigo.

Contudo, a essência dos primeiros filmes não é transportada para este último, na medida em que os carros e as corridas ilegais deixam de ser o foco. Não acontece subitamente mas é em “Velocidade Furiosa 7” que notamos uma quebra gigante nesta natureza. De certo modo podemos até dizer que a saga perdeu um pouco da sua identidade.

É aqui que nos surge um ponto muito importante na análise deste filme: a morte de um dos protagonistas (Paul Walker). É importante pois influencia o filme, a sua história e o seu carácter. A implicação da morte de Paul Walker veio realmente acrescentar um novo registo à saga, isto porque as cenas finais de “Velocidade Furiosa 7” surgem-nos em jeito de despedida, fazendo assim uma conexão com a realidade. Conexão esta que é reforçada com a música que acompanha este desfecho (Wiz Khalifa ft.Charlie Puth, “See You Again”). Surge-nos, então, um final capaz de homenagear o actor e todo o contributo que este deu a esta saga de sucesso. Assim, depois de uma  paragem de quatro meses na rodagem de Velocidade Furiosa 7”, a solução encontrada para ultrapassar o acontecimento passou pelo uso do digital para que o projecto pudesse sobreviver.

furious-7

Finalmente, Vin Diesel garantiu aos fãs que “Velocidade Furiosa 8” é uma realidade. “Juro-vos, a vocês e ao meu irmão lá em cima, que vamos fazer o melhor filme que alguma vez viram” (23 de Abril de 2015, em Las Vegas).

Não é o melhor filme desta saga, mas é aquele que faz a homenagem merecida a Paul Walker. É um filme bem realizado no seu todo, que marcará o elenco e todos os fãs. Contudo, não acho que seja um filme merecedor de um Óscar como afirma Vin Diesel.