Em tempos em que as cheias e o vento nos impedem de um passeio pelas margens do rio Lima, a vila de Ponte de Lima apresenta-nos outras formas de passar o dia. Uma delas passa por visitar a exposição “100 Anos de Brinquedos Portugueses” no Museu do Brinquedo Português.

Esta é uma exposição permanente que marca presença no Museu desde a sua abertura em junho de 2012. Nela encontramos uma variedade de brinquedos industriais, pertencentes à coleção de Carlos Anjos. “Existe um pouco de tudo: baldinhos de praia em madeira, bonecas de pasta de papel, carrinhas de folha-de-flandres, até brinquedos em materiais plásticos”, reforça Sandra Rodrigues, responsável pelo Museu.

Numa viagem que nos leva desde o final do século XIX até 1986, “[muitos] reencontram a sua infância”, num “regresso a um passado feliz”, continua. “Os mais pequeninos também adoram porque, alguns deles, são brinquedos que não conhecem, o que lhes desperta bastante curiosidade”, revela Sandra Rodrigues.

Denota-se, no seio dos brinquedos que fazem parte desta exposição, uma evolução aquando da chegada do plástico na década 40 do século XX. Nesta altura, dá-se um “crescimento em número de fábricas de brinquedos”, não só devido à “facilidade do conhecimento da produção”, mas também porque “Portugal tinha um mercado ultramarino que consumia o produto”, reforça a responsável pelo Museu. “Tínhamos muita experiência em moldes de vidro e foi fácil adaptar a indústria ao plástico”, confessa.

Sandra admite já terem recebido “mais de 80 000 pessoas”, sendo este público “maioritariamente de origem nacional”.