Lembrem-se das memórias que os vossos pais contam. O nascimento, a chegada aos braços da mãe e do pai, os primeiros passos e as primeiras palavras. As birras e os erros de criança e, sem esquecer, o crescimento quase instantâneo, sem pedir licença.

Este jornal a que chamamos “casa” tem tudo isto. Chegamos “verdinhos”, sem saber bem onde vamos parar, nem sabemos que estamos a ser acolhidos pela família. Começamos a andar, a falar, erramos e evoluímos do dia para a noite, porque o tempo não espera e num piscar de olhos a aventura acaba.

O ComUM é esta casa que alberga uma família que se vai renovando. Ano após ano, surge um novo ciclo que deixa para a história as marcas alcançadas. Há um ano, lançávamos um site renovado e, pouco depois, conquistámos o nosso primeiro prémio. Mas não queremos parar por aqui.

Se as novidades e as novas apostas do ComUM estão para chegar, há sempre uma garantia: a formação. E foi nisto que nos tornámos especialistas. Todos os anos chegam pessoas novas, repletas de sonhos e planos, que começam aqui o seu percurso, aprendem aqui as primeiras coisas, levam as primeiras correções e conhecem os primeiros desafios. No fundo, como qualquer resumo que fazem da vossa infância.

Aos que chegam: experimentem. Este é o vosso cais de embarque no mundo da comunicação, onde terão o primeiro contacto com uma nova realidade. Aos que ficam: descubram e inovem, criem diferentes formatos, procurem o que ainda não foi feito. Aos que vão: obrigado por tudo.