Vítor de Sousa, aluno de doutoramento da Universidade do Minho, foi distinguido com o Prémio Científico Mário Quartin Graça pela sua tese “Da Portugalidade à Lusofonia”.

O investigador analisou de que modo a “Portugalidade” pontua a construção de um conceito pós-colonial – o da lusofonia – e de que modo este tem repercussão nas politicas de globalização atuais.

O Prémio Científico Mario Quartin Graça resulta de uma parceria entre o banco Santander Totta e a Casa da América Latina. Esta iniciativa pretende estimular a formação de estudantes latino-americanos e portugueses em temas de interesse mútuo para Portugal e para a América Latina,  enquadrando-se na política de Responsabilidade Social do Santander Totta, nomeadamente no apoio ao Ensino e ao Conhecimento.

A cerimónia de entrega do Prémio decorre em dezembro deste ano, em data e local a anunciar.