O SC Braga venceu o Santa Clara por 2-1. Nos quatro minutos que antecederam o apito final, os minhotos deram a “cambalhota” no marcador, garantindo a passagem aos oitavos de final da Taça de Portugal.

Com o Municipal de Braga quase deserto, José Peseiro não apresentou grandes alterações no onze relativamente ao último encontro. Os açorianos entraram decididos a não facilitar a vida à equipa da casa, criando obstáculos que não deixavam o SC Braga obter mais do que um leve domínio na primeira parte.

Com maior posse de bola e mais iniciativas, os “guerreiros” obrigaram Serginho a três defesas apertadas. O guarda-redes negou o golo a Pedro Santos ao desviar uma bola cruzada, que passou muito perto das redes e, no mesmo lance, voltou a impedir que o avançado fizesse o “gosto ao pé”.

No regresso dos balneários, a equipa da casa mostrou-se mais confiante, conduzindo mais ataques e fazendo com que o guardião do Santa Clara assumisse um papel de protagonista no jogo. Rui Fonte rematou forte, aos 53 minutos, mas Serginho manteve o nulo no marcador. Sete minutos depois, o conjunto orientado por Rui Amorim surpreendeu todos na “Pedreira”.Telmo Castanheira, assistido pela esquerda por Burke, rematou para o fundo das redes de Marafona e deu a vantagem aos açorianos.

A partida tornou-se ainda mais difícil para o SC Braga depois da primeira hora e o pesadelo do atual detentor da Taça só terminou aos 86 minutos. Rui Fonte rematou certeiro, após um cruzamento rasteiro de Wilson Eduardo, restabelecendo a igualdade. Os adeptos empolgaram-se e o empate não durou muito. Quatro minutos depois, na sequência de um pontapé de canto, Stojiljkovic marcou e afastou a possibilidade daquela que seria a primeira derrota caseira da época.

O SC Braga segue, assim, em frente na prova rainha do futebol português, uma vitória difícil que deixa a equipa minhota mais perto do Jamor.