O grupo Fado Violado levou ritmos ibéricos até ao Theatro Circo ontem, numa noite cheia de animação e calor. Num concerto marcado pela descontração, a interação entre os músicos e o público foi uma constante.

“Espetacular”. Foi esta a palavra que mais se ouviu ontem no final do concerto dos Fado Violado no Theatro Circo. O grupo, que editou o seu primeiro disco no ano passado – “A Jangada de Pedra”, animou a noite com uma mistura de fado e flamenco.

A boa disposição e o bater de palmas, tanto dos artistas, no seu estilo mais hispânico, como da plateia, foram uma realidade presente durante todo o concerto. O grupo interpretou alguns temas de artistas conhecidos, como o fado de Amália Rodrigues – “Estranha forma de vida”, e temas originais que compõem o seu primeiro álbum, como “E tudo o vento levou”, “Senhora da Luz”.

No final do concerto, foram várias as pessoas que mostraram “tristeza” pelo fim do mesmo, mas já com o pensamento no próximo espetáculo. “Fica o desejo de voltar outra vez”, confessou Agostinho Silva. As expetativas, expressou Cacilde Maceira, eram as “melhores” e foram correspondidas.

A vocalista do grupo, Ana Pinhal, mostrou-se contente por estarem a atuar no Theatro Circo, depois do ano passado não terem conseguido fazê-lo. Fez ainda referência à agenda da banda, que conta com uma das suas atuações no conhecido festival Paredes de Coura.