Os primeiros dias de qualquer novo aluno numa universidade são recheados de incertezas e perguntas, e na Universidade do Minho o cenário não é diferente. Perguntas como ‘onde é a sala de aula?’, ‘em que actividades me posso envolver?’, ‘é obrigatório ser sócio da AAUM?’ ou ‘que actividades são estas no início do ano?’ são das que mais se ouvem entre os novos estudantes.

Com este pequeno guia o ComUM ajuda-te a perceber melhor o que se vai passar nestes primeiros dias.

Perceber os horários

horarios

Perceber os horários é um dos primeiros obstáculos que um novo aluno universitário tem de ultrapassar. Mas no meio do que parece ser uma confusão, existe uma lógica.

Para isso tens que perceber o que aparece por baixo do nome da unidade curricular. Verás algo como “[CG – Edifício 2 – 1.01”. Por difícil que seja de acreditar, esta é a indicação do edifício e sala onde terás aula. As letras “CG” significam Campus de Gualtar – tal como “CA” significa Campus de Azurém – e seguem-se do número do edifício onde terás aulas – podes encontrar esses números nos próprios edifícios ou nos mapas espalhados pelos campi. “1.01” é o número da sala em que terás aula. Ou seja, neste caso, a tua sala de aula será a número 1 do primeiro piso do Complexo Pedagógico 2.

horarios

Depois aparecerão as letras ‘T’, ‘TP’, ‘OT’ ou ‘PL’. O significado destas letras indica o teor da aula que terás. No caso do ‘T’, será uma aula puramente teórica; no caso do ‘TP’, será uma aula teórico-prática; no do ‘OT’, o tempo é de orientação tutorial; e quando as letras ‘PL’ surgirem, significa que a aula é de prática laboratorial.

E não, não vais ter o que parecem ser 30 Unidades Curriculares (UCs, forma mais chique de dizer disciplina) na mesma hora. Quando a mesma hora é ocupada por uma ou mais cadeiras, quer dizer que é aí que terás a aula da cadeira opcional que escolheste, seja ela interna ao curso ou a chamada ‘Opção UMinho’.

Opção UMinho

2017-09-09 (6)

A Opção UMinho pode não te surgir no primeiro semestre, ou nem sequer no primeiro ano, mas é muito provável que em algum ponto durante a tua licenciatura ou mestrado integrado vejas uma mancha de traços no teu horário – isto é, são tantas cadeiras que só expandindo o horário conseguirás saber quais são.

Esta opção é de integração obrigatória num curso a partir do momento em que a sua estrutura é renovada e, por isso mesmo, ainda não está presente em todos eles. Mas consiste num número variável de cadeiras acessíveis a todos os alunos da UMinho, independentemente do seu curso, abrangendo as várias áreas de conhecimento presentes na universidade. O que significa que tanto podes aprender uma nova linguagem como explorar a bioética, geografia, história, astronomia, entre outras.

Emolumentos

Emolumento é, no fundo, uma forma diferente de dizer ‘taxa’. E. na tua vida académica. terás de pagar vários emolumentos.

Logo na inscrição no teu curso terás de pagar 36 euros, isto é, se te estiveres a inscrever no primeiro ano. Caso estejas no segundo ano (ou qualquer outro superior) o valor altera-se para 26 euros. Quando quiseres uma certidão de conclusão do teu curso, terás de desembolsar 20 euros para a receber em papel. Contudo, se escolheres a declaração detalhada, o custo dependerá do número de UCs que frequentaste.

E se, um dia, infelizmente, por algum azar ou necessidade, tiveres que te inscrever num exame de época especial, terás de pagar sete euros por uma cadeira semestral e 14 euros por uma unidade curricular anual.

E as quotas de uma tal AAUM?

ComUM

ComUM

A opção de te tornares sócio da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) também te irá surgir no momento da inscrição. Estes 12 euros – que, se te decidires tornar sócio logo no momento da inscrição, serão automaticamente acrescentados à taxa de inscrição – permitem-te ter acesso ao cartão de sócio da associação académica, que também é um cartão jovem europeu. Para além dos descontos nos bilhetes gerais da Receção ao Caloiro e do Enterro da Gata, o cartão traz também outras vantagens, explicadas aqui.

Atividades culturais e de acolhimento

Na tua primeira semana de aulas, isto é, a partir de 16 de setembro, terás várias atividades que te vão ajudar a conhecer a Universidade do Minho, os grupos culturais – por quem passarás depois de completares a tua inscrição – e até outros estudantes da academia minhota.

Na segunda-feira, depois de seres recebido/a pela escola ou instituto em que o teu curso está inserido e pelo próprio curso, de algumas atividades de acolhimento e de um almoço na cantina oferecido pelo reitor, terás, pelas 15h, uma sessão de boas-vindas no pavilhão desportivo. Esta sessão é presidida pelo reitor, também ouvirás um discurso do presidente da AAUM e, muito provavelmente, uma atuação do Coro Académico da Universidade do Minho (CAUM) a entoar o Hino da Academia.

Ainda nessa noite decorre o Arraial Azeiteiro, uma festa de boas vindas aos novos alunos organizada pela Azeituna, um dos muitos grupos culturais da Universidade do Minho. Este ano todos os novos alunos têm entrada gratuita. Caso não tenhas recebido uma pulseira para este evento quando fizeste a tua matricula, podes à entrada do recinto, solicitar a tua pulseira mediante comprovativo de inscrição.

Na terça-feira acontece o GPS Caloiro, um peddy paper organizado pela Associação Académica da Universidade do Minho. Nesta atividade vais ter a oportunidade de conhecer os campi e as suas partes envolventes. Terá inicio às 9h e acontece em simultâneo em Braga e Guimarães. Na quarta-feira chega – caso não chova – o Caloiro de Molho, uma tarde de convívio nas piscinas da Rodovia, em Braga.

Os jantares de curso e a ‘famosa’ praxe

Quando saíste do local onde decorreram as matrículas provavelmente encontraste uma multidão de pessoas à tua espera. Não necessariamente à tua espera, mas dos novos alunos dos seus cursos – ou caloiros, como muito vais ouvir.

Vestidos – ou melhor, trajados – de preto com um tricórnio na sua cabeça estão a maior parte dos elementos das comissões de praxe. Como já saberás, a praxe não é obrigatória. Porém muitos te dirão que é uma experiência enriquecedora. Se participas ou não, a decisão é tua.

Vestidos ‘à civil’ e com muitos acessórios para fotos encontrarás as comissões de festas. Serão elas a organizar os jantares de curso, a vender as camisolas e casacos de curso, os ‘kits’ de caloiro, entre outros.

Principais momentos do ano académico

Gonçalo Costa/ComUM

Gonçalo Costa/ComUM

Um ano académico é sempre rico em acontecimentos, muitos deles certamente individuais. Mas há eventos que marcam quase toda a academia.

Por esse prisma, a Receção ao Caloiro é o primeiro destes no calendário. A Receção começa com as Serenatas Velhas no centro histórico de Guimarães e segue com a Latada, na tarde de quarta-feira. A partir daí, até sábado, são quatro noites de música e folia no Pavilhão Multiusos de Guimarães.

Saltando para dezembro, chega a altura de eleger novos órgãos sociais para a Associação Académica. Entre presidência, mesa da Reunião Geral de Alunos (RGA) e conselho fiscal e jurisdicional, são três os órgãos que ditam a condução e futuro da AAUM. Qualquer aluno, seja ou não sócio da associação, pode votar nestas eleições. E durante o ano poderás querer ir às RGAs, visto que por lá passa a discussão de muitos dos assuntos que afetam a vida dos estudantes na universidade, desde os preços das senhas da cantina até à acessibilidade, passando pela política geral de ensino superior, principalmente no capítulo do financiamento – ou falta dele.

Lá para maio, já perto do fim do ano letivo, mas antes da sua derradeira fase, chega uma semana por muitos aguardada – a do Enterro da Gata. Começa com o Velório e as Serenatas frente ao edifício da Reitoria da UMinho e, no dia seguinte, antes do início das noites de diversão, tem lugar a imposição das insígnias e a missa de finalistas. A meio da semana tem lugar o Cortejo Académico, um evento que está relacionado com a praxe mas que não deixa de estar aberto a todos.

Vê também:

Nota: Texto alterado a 14 de setembro de 2019 de acordo com as indicações do Acolhimento 2019 dos novos alunos da Universidade do Minho.