Noite infeliz para o SC Braga, que perdeu em casa frente ao Ludogorets por 0-2 e cedeu a liderança do grupo C aos búlgaros na Liga Europa. Os minhotos não foram capazes de concretizar as muitas oportunidades que foram criando durante a partida, enquanto os búlgaros souberam aproveitar as desatenções bracarenses.

Mais Ludogorets na primeira parte

O jogo foi intenso do início ao fim. O SC Braga entrou mais pressionante, tentando através de “jogadas de laboratório”, nas bolas paradas, alcançar a liderança no marcador.

À passagem do minuto sete, na sequência de um livre lateral cobrado à maneira curta, João Carlos Teixeira encontrou Paulinho a deslocar-se pela ala esquerda. O avançado português cruzou a meia altura para a área e Ricardo Ferreira fez à boca da baliza o que seria o primeiro golo do encontro.

Instantes depois, o árbitro assistente invalidou o lance e isto teve consequências na postura dos guerreiros nos minutos que se sucederam.

O 4-3-3 inicial transformou-se num 4-4-2, com Ricardo Esgaio e João Carlos Teixeira nas alas, Fransérgio e Vukcevic no miolo e Paulinho e Hassan na frente de ataque.

Sem ideias concretas e com os blocos um pouco desconectados entre si, os minhotos iam pecando pela falta de critério e acabaram por ver o Ludogorets a impor-se aos poucos na partida.

Ora trocando a bola entre os centrais, privilegiando a segurança defensiva, ora saindo rápido no contra-ataque por Lukoki, os búlgaros criaram alguns lances perigosos e acabaram mesmo por chegar ao golo no minuto 26.

Canto marcado à maneira curta, Wanderson tirou um bom cruzamento da direita e Cosmin Moti cabeceou para o 0-1. Matheus ainda se esticou e tocou na bola, mas não conseguiu impedir o tento.

Logo no minuto seguinte, o Ludogorets podia ter ampliado a vantagem. O brasileiro Cicinho, numa cavalgada fulminante, deixou os defesas minhotos para trás e rematou para uma boa intervenção de Matheus. Jogo rápido e frenético nesta primeira meia hora.

Até ao intervalo, os búlgaros tentaram gerir o resultado, enquanto o SC Braga mostrava sinais de ansiedade, desperdiçando chances de perigo com maus passes.

Ineficácia minhota ditou o resultado final

Na segunda parte, os bracarenses entraram determinados em dar a volta ao resultado, mas sofreram um rude golpe aos 56 minutos.

Erro infantil de Marcelo Goiano, que atrasando a bola para o guarda-redes, permitiu que Lukoki rapidamente a intercetasse. Driblando sobre Matheus, o avançado preparou um remate de pé esquerdo de ângulo difícil, que bateu no poste. Raúl Silva, na tentativa de impedir o segundo golo dos visitantes, acabou por fazer um auto-golo.

O treinador Abel Ferreira realizou instantaneamente duas substituições. João Carlos Teixeira e Marcelo Goiano foram trocados por Fábio Martins e Bruno Xadas, com o intuito do SC Braga ganhar velocidade e criatividade nas alas e explorar o jogo interior.

As substituições surtiram efeito e só faltou o golo para justificar as mudanças promovidas por Abel Ferreira.

Os minhotos ainda reclamaram um penálti, aos 70 minutos, por mão na bola, após um remate de Fransérgio. O árbitro Davide Massa não foi da mesma opinião. No seguimento deste lance, o italiano expulsou o treinador bracarense, tendo recebido indicações do árbitro assistente para o fazer.

Não estava a ser uma noite inspirada para o SC Braga, que até ao final criou oportunidades de golo que foram paradas, em grande parte, pelo guardião do Ludogorets.

Já perto dos 90 minutos, o speaker do Estádio Municipal de Braga lançou um aviso às bancadas: comentários racistas não seriam tolerados e a partida teria de ser interrompida se eles continuassem a surgir. Acabaram por ser cumpridos os 90 minutos, mais quatro de tempo extra.

Depois deste resultado final, fica um sabor amargo na boca dos bracarenses que entregaram, deste modo, o primeiro lugar do grupo C ao Ludogorets e estão agora em segundo.

O próximo jogo do SC Braga será para a Liga NOS, na segunda-feira, onde pelas 19h defrontará outra equipa minhota, o Moreirense, no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas.