O Vitória SC recebeu e empatou com o Feirense, a uma bola, em jogo a contar para a primeira jornada do grupo C da Taça CTT 2017/2018. O encontro contou com um atraso de dez minutos, pois os jogadores da casa encontravam-se com calções pretos, assim como os da equipa visitante.

Posto isto, o árbitro só iniciou o encontro depois dos atletas vimaranenses terem trocado para o equipamento branco.

Além desta situação inesperada, também os adeptos do Vitória SC prepararam uma mensagem para os seus jogadores. No início do jogo, encontravam-se com uma faixa que dizia: “Talvez seja o nosso silêncio que vocês merecem”.

E foram assim os primeiros minutos do encontro, em silêncio, com os adeptos a demonstrarem o descontentamento pelos resultados obtidos pela equipa de Pedro Martins.

Aos 13´, fizeram as “pazes” com os jogadores, as vozes fizeram-se ouvir pela primeira vez na partida e a faixa foi substituída por outra: “mas é o nosso apoio que continuarão a ter”.

Em relação ao jogo propriamente dito, começou melhor a formação de Guimarães, a construir mais oportunidades. Aos dez minutos já tinham sido batidos três lances de bola parada, mas nenhum deles concretizado. O Feirense tentou criar, pela primeira vez, perigo na partida, com um canto aos 12’.

Estava por cima a formação de Pedro Martins, a controlar o jogo e com mais chegadas à baliza adversária. O Feirense jogava na expetativa, à espera de uma oportunidade de contra-ataque.

Apesar da superioridade vimaranense, o jogo ainda não registava nenhuma oportunidade de perigo real aos 16’. A primeira surgiu ao 22’, com um cruzamento tirado do lado direito para os pés de Raphinha, com o brasileiro a não chegar a tempo para finalizar.

A equipa visitante tentou dar resposta ao domínio do grupo de Guimarães, mas apresentou algumas dificuldades em chegar à baliza adversária, criando o seu primeiro lance de perigo aos 27’, com Luís Henrique a ficar na cara do guarda-redes.

A boa organização defensiva da formação de Nuno Manta dificultou a construção de jogo do Vitória SC. No entanto, depois de várias ameaças, os vitorianos conseguem mesmo chegar ao golo, aos 37’.

Raphinha, descaído para o lado esquerdo, remata com força, num movimento de cima para baixo, sem hipóteses para o guardião da Feira (1-0).

Já no segundo tempo, o Feirense entrou com vontade de lutar pelo resultado.

Aos 51’, o avançado do Feirense, Luís Henrique, marcou o golo da igualdade. Depois de atirar ao poste, não falhou na recarga (1-1). O jogo assumiu um cenário mais equilibrado, com a equipa visitante a tornar-se mais ativa.

As duas formações construíam um jogo mais aberto, com ambas à procura de um melhor resultado. Aos 54’, um remate de primeira de Raphinha obriga o guarda-redes do Feirense a travar, novamente, o golo ao brasileiro.

Depois desta oportunidade, surgiram mais, com o Vitória SC a ameaçar as redes adversárias. No entanto, também o Feirense fazia parte da discussão do jogo e conseguia criar situações perigosas de forma a ameaçar a baliza do guardião vimaranense.

Aos 80’, a atitude da formação visitante voltou a ser passiva, a mesma que adotou na primeira parte, na expetativa do contra-ataque.

As investidas do Vitória SC não deram frutos, assim como as rápidas transições aproveitadas pela equipa da Feira, o que fez com que o resultado final se fixasse no 1-1.

O próximo jogo da equipa de Pedro Martins é com o Vasco da Gama, para a Taça de Portugal. Já o grupo de Nuno Manta visita o Académico de Viseu, para a mesma competição.