Homem do jogo

Franco Cervi

Pura classe de Franco Cervi na Pedreira. O jovem fez bastantes estragos na ala esquerda, dando constantes trabalhos a Ricardo Esgaio e companhia. Coroou a sua exibição com duas assistências categóricas: a primeira para Salvio no primeiro golo e a segunda, num cruzamento milimétrico, para o remate habilidoso de Jiménez. Depois das boas indicações dadas na primeira volta desta temporada, o argentino ganha cada vez mais espaço no “onze” de Rui Vitória. Um grande futuro se antecipa certamente para o craque encarnado.

Em cima

Danilo Silva

Um verdadeiro patrão no meio-campo dos minhotos. A jogar contra o clube onde esteve emprestado na época passada, Danilo deu justificações para o Benfica ter mostrado interesse no brasileiro. Impecável no aspeto defensivo, teve também a habilidade de vir buscar jogo da defesa para o ataque. Depois de se ter exibido com grande classe na última partida, o médio bracarense volta a fazer brilharete.  A seu lado, o capitão Vukcevic esteve longe do seu auge, apesar de uma primeira parte decente.

Eduardo Salvio

A magia dos pés do argentino permitiu ao Benfica entrar melhor na partida, marcando mesmo o primeiro golo aos 11 minutos de jogo. Após uma primeira parte de grande nível, Salvio foi ainda bastante consistente no segundo tempo, criando desequilíbrios na ala direita dos benfiquistas. Partindo para cima dos adversários com grande qualidade, o sul-americano tornava-se um bico-de-obra para a defesa adversária, que teve enormes dificuldades para o travar. A par de Cervi, foi um dos melhores em campo.

Em baixo

Pizzi

Num meio-campo encarnado que se exibiu a grande nível, Pizzi passou despercebido no jogo de hoje. Krovinovic esteve absolutamente impecável e o seu companheiro Fejsa foi um autêntico polvo durante os 90 minutos. As expectativas eram altas para o internacional português, que normalmente assume um importantíssimo papel na construção de jogo dos tetracampeões portugueses. Pizzi foi substituído já aos 80 minutos, com Rui Vitória a optar por Samaris e a remetê-lo para uma posição mais defensiva do esquema tático das “águias”.

Fábio Martins

Longe dos seus melhores dias, Fábio Martins falhou em apimentar o jogo dos bracarenses. Não teve sucesso no “um para um” e os seus cruzamentos estiveram algo desafinados, não conseguindo encontrar Paulinho na área contrária. O médio português, que é uma das melhores armas do SC Braga a saltar do banco, não soube aproveitar a oportunidade de agarrar a titularidade neste jogo. Fábio Martins acabaria por dar lugar a Wilson Eduardo aos 67 minutos de jogo.