Mulher do jogo

Pauleta

No terceiro encontro consecutivo como titular, Pauleta brilhou no meio-campo do SC Braga. Jogando na posição de médio interior esquerdo, a atleta espanhola bisou pela segunda vez na temporada. Os dois golos que apontou foram na sequência de pontapés de canto. No primeiro, Pauleta aproveitou uma saída infeliz de Daniela Araújo para colocar a bola por cima do corpo da guarda-redes do Vilaverdense. O segundo tento surgiu através de um remate forte para o fundo das redes, após um corte incompleto da defensiva contrária. A jogadora de 20 anos destacou-se também no capítulo do passe.

Em cima

Dolores Silva

A atleta do SC Braga voltou a fazer um jogo muito completo. Atuando no corredor central do meio-campo, Dolores Silva deu sempre os equilíbrios necessários para que a equipa não se desposicionasse no momento de defender. Para além disso, a internacional portuguesa foi uma das atletas responsáveis pela primeira fase de construção do SC Braga, tendo cumprido a missão com êxito. Dolores Silva assistiu Francisca para o primeiro golo do jogo, através da cobrança de um pontapé de canto do lado direito.

Coletivo do SC Braga

A diferença de qualidade entre os dois plantéis ficou bem vincada no Estádio 1º de Maio. A equipa de Miguel Santos controlou a partida de início ao fim. Atuando no sistema tático de 4x3x3, o SC Braga foi muito competente em todos os momentos do jogo. O resultado folgado que já se verificava a meio da segunda parte permitiu que o treinador da equipa da casa fizesse três alterações de uma assentada. Miguel Santos fez descansar, com estas alterações, Dolores Silva, Vanessa Marques e Andreia Norton, que estiveram em representação de Portugal na Algarve Cup na última semana.

Em baixo

Incapacidade ofensiva do Vilaverdense

A formação de José Rui não teve uma tarde inspirada. Apesar da equipa ter tido um comportamento defensivo razoável, não obstante os seis golos sofridos, o Vilaverdense não conseguiu ser perigoso no ataque. Ao contrário do que tinha acontecido no jogo da primeira volta – empate a uma bola -, em que o SC Braga sentiu muitas dificuldades em parar o ataque contrário, Rute Costa teve um jogo descansado. A falta de ligação entre o meio-campo e o ataque foi notória, sendo que a ausência de Andreia Faria pode ajudar a justificar a impotência do Vilaverdense em termos ofensivos.

Lesões de Sílvia Rebelo e Daniela Araújo

A defesa do SC Braga fazia parte das escolhas iniciais do treinador Miguel Santos, tal como é hábito. Contudo, uma lesão no aquecimento impediu que Sílvia Rebelo alinhasse na partida. A jogadora que tinha sido titular nos 19 jogos oficiais efetuados pelo SC Braga até ao encontro frente ao Vilaverdense foi rendida por Adriana Gomes no onze titular. Do lado da equipa visitante, perto do final do jogo, a guarda-redes Daniela Araújo sentiu-se indisposta e abandonou o relvado. Como José Rui já tinha feito as três substituições, a defesa Cláudia Machado teve que ir para a baliza.