Desaire por 2-1 do Vitória SC frente ao Portimonense SC, depois de um jogo no qual os minhotos acabaram com menos um homem em campo.

O Vitória SC deslocou-se, este domingo de manhã, ao Municipal de Portimão para defrontar o Portimonense SC, saindo derrotado por 2-1, em encontro a contar para a 26ª jornada da Liga NOS. Separadas por três pontos antes do início da partida, ambas as formações sabiam que uma vitória neste desafio daria uma injeção de confiança para a reta final do campeonato.

Sabendo disso e a jogar em casa, os algarvios entraram mais pressionantes e a criarem as primeiras aproximações à baliza de Douglas. Primeiro foi Wellington a atirar de cabeça à baliza vitoriana, pondo o guardião brasileiro em sentido. Volvido apenas um minuto, foi a vez de Rúben Fernandes falhar a emenda, após livre cobrado por Nakajima.

A resposta da equipa minhota demorou a chegar e, só aos 17 minutos, surge o primeiro lance de registo. Rafael Miranda em iniciativa individual atirou de longe, mas fraco para defesa tranquila de Ricardo Ferreira.A reação do Portimonense à primeira ameaça à sua baliza não poderia ser melhor. Novamente Nakajima, a surgir da faixa esquerda do ataque para o meio e, com um passe tirado a papel químico do lance anterior, isolou Wellington, que só teve de contornar Douglas para inaugurar o marcador

Volvidos três minutos, aos 21, soberana chance para o Vitória SC empatar a partida. Rafael Martins é carregado na área em falta por Marcel Pereira e o penálti é assinalado por Luís Godinho, que ainda recorreu ao vídeo-árbitro (VAR). Na conversão do lance, Raphinha não perdoou e bateu o guardião português do Portimonense.

O jogo entrava numa fase mais anárquica, com o Vitória SC a querer responder à má entrada na partida, contudo, o sinal mais continuava a pertencer à turma da casa. Aos 30, em mais uma jogada de ataque da formação algarvia, Douglas entra fora de tempo sobre Fabrício, sendo expulso com vermelho direto. Por sua vez, Fabrício também não reunia condições para continuar em campo, saindo em grandes dificuldades.

Até ao final da primeira parte, a equipa de Vítor Oliveira ainda dispôs de mais uma oportunidade, mas primeiro Pires e depois Nakajima não tiveram a frieza necessária para bater o recém-entrado Miguel Silva. O empate resistia depois de uma primeira parte entretida, com sinal positivo para a formação da casa.

Na etapa complementar, o Portimonense SC entrou novamente mais dominador que o Vitória SC, na tentativa de aproveitar a superioridade numérica que gozava desde a meia hora de jogo. À medida que o tempo ia passando, os lances de perigo junto da baliza minhota aumentavam, até que perto da hora de jogo a igualdade é novamente desfeita por intermédio de Pires. O experiente avançado português ganhou a bola entre os dois centrais vitorianos e, com um remate cruzado, bateu Miguel Silva, colocando os algarvios novamente na frente do marcador.

Até ao final do encontro, os lances de perigo da equipa portimonense sucediam-se, por intermédio de Pires, Wellington ou Nakajima (o internacional nipónico foi novamente uma grande dor de cabeça para a defensiva contrária), deixando a formação minhota desnorteada. Contudo, o encontro não sofreu mais alterações no marcador, acabando pelos três pontos ficarem em Portimão.

Com esta derrota, a equipa de José Peseiro é apanhada na classificação pelo adversário desta partida, caindo para o décimo lugar. Na próxima jornada, os Conquistadores têm encontro marcado com o Desportivo das Aves, no Estádio D. Afonso Henriques, em mais uma jornada da Liga NOS.