Homem do jogo

Héldon

O internacional cabo-verdiano foi um autêntico quebra-cabeças para a defesa do Moreirense. Sempre irrequieto, Héldon criou vários lances de perigo, servindo os companheiros do ataque, que não conseguiram dar a melhor sequência na maior parte dos casos. Começou o jogo como extremo esquerdo, mas, a partir do meio do primeiro tempo, trocou de ala com Raphinha, e continuou a mostrar-se incisivo no momento de atacar. O jogador de 29 anos está na melhor fase da época, sendo que este foi o sétimo encontro consecutivo como titular pelo Vitória SC.

Em cima

Raphinha

Não apresentou a mesma consistência que Héldon. Ainda assim, apesar de ter tido uma primeira parte apagada – o único apontamento relevante foi um remate perigoso que fez logo no início do encontro -, Raphinha acabou por efetuar uma boa segunda parte. Conseguiu desequilibrar mais e tornou-se inclusivamente um jogador perigoso no corredor central. Perto do final do desafio fez um belo cruzamento para Hurtado, que não aproveitou da melhor forma, e esteve envolvido no golo do atleta de 27 anos: o avançado brasileiro fez uma excelente combinação com Konan no corredor esquerdo, antes do costa-marfinense assistir o jogador peruano.

Boubacar Fofana

O médio do Moreirense fez um jogo muito completo. Atuando no vértice mais recuado do meio-campo dos cónegos, Boubacar Fofana esteve irrepreensível no capítulo das recuperações de bola. Para além disso, mostrou-se certeiro na hora de entregar a bola aos colegas que atuaram em posições mais avançadas. Depois de ter vindo da Arábia Saudita no mercado de inverno, o internacional pela Guiné-Conacri parece ter ganho definitivamente um lugar no onze inicial de Petit. De tal forma que, aliado ao facto do Moreirense ter muitas baixas no setor defensivo, “obrigou” Alfa Semedo, até então dono da posição, a recuar no terreno para defesa-central.

Em baixo

Jogo sem grande qualidade

A partida de abertura da jornada 31 da Liga NOS não teve uma dose elevada de espetacularidade. O facto do Vitória SC já estar praticamente arredado da luta pelo acesso às competições europeias, para além da questão do Moreirense ter a manutenção bem encaminhada, ajudaram a que as equipas não imprimissem muita intensidade na partida. Isso acabou por ser mais visível na primeira parte, em que os lances de perigo escassearam. A etapa complementar foi mais emotiva, mas a qualidade de jogo ficou também aquém das expetativas.

Choque entre Estupiñán e Iago

Aos 50 minutos de jogo viveu-se um momento de grande aflição no Estádio D. Afonso Henriques. Óscar Estupiñán, avançado do VItória SC, e Iago Santos, defesa do Moreirense, chocaram de cabeça e o atleta colombiano caiu inanimado no relvado. Passados poucos segundos, o atleta de 21 anos recuperou os sentidos, mas não conseguiu continuar em campo, tendo sido levado de maca para fora do relvado. A partida esteve interrompida durante cinco minutos.