SC Braga derrotado no prolongamento depois de um jogo muito equilibrado. Diana Silva marcou o único golo, mas foi a guarda-redes Patrícia Morais quem mais brilhou.

O SC Braga não foi capaz de trazer o troféu para o Minho. Uma derrota por 1-0, após prolongamento, frente ao Sporting CP fez com que as bracarenses perdessem mais uma final da Taça de Portugal Allianz no Estádio do Jamor, em Oeiras.

Gverreiras e leoas disputaram o jogo decisivo da competição, reeditando, assim, a final do ano transato. Tal como aconteceu nesse encontro realizado na época anterior, a partida só ficou resolvida no tempo extra. Desta feita foi Diana Silva a dar a taça às jogadoras de Nuno Cristóvão.

A primeira parte teve pouca ação junto das balizas. Num desafio muito jogado na zona central do terreno, as guarda-redes de ambas as equipas não foram chamadas muitas vezes a intervir. A formação leonina foi a primeira a tentar o golo.

Após um bom trabalho de Fátima Pinto, Diana Silva desferiu um remate, mas a bola saiu ao lado da baliza bracarense. As minhotas responderam com uma jogada de contra-ataque, no entanto, as atletas do setor ofensivo bracarense não conseguiram dar o melhor seguimento.

Decorria o minuto 23 desta etapa inicial quando Sharon rematou para uma excelente defesa de Rute Costa. Esta foi a melhor oportunidade deste primeiro tempo. Até ao intervalo, as duas formações não criaram mais perigo e recolheram às cabines empatadas a zero bolas.

A segunda parte começou com sinal mais para a equipa da capital. Fátima Pinto, lançada por Sharon, remata ao lado da baliza defendida por Rute Costa. O minuto 60 trouxe a primeira substituição da partida. Pauleta saiu e, para o seu lugar, entrou Francisca Cardoso.

Esta alteração teve o condão de animar as tropas de Miguel Santos. O relógio marcava 72 minutos jogados quando Francisca Cardoso obrigou Patrícia Morais a uma enorme defesa. Após um canto, a jogadora portuguesa cabeceou forte e a guardiã leonina teve reflexos para desviar a bola por cima do travessão.

As jogadoras de Nuno Cristóvão responderam em dose dupla. Diana Silva teve nos pés o golo por duas ocasiões, mas finalizou sempre da pior forma. As minhotas continuavam com o domínio da partida e, aos 82 minutos, Laura Luís trabalha de forma extraordinária dentro da área, mas atira por cima da baliza leonina.

Na reposição da bola, as jogadoras sportinguistas perderam a bola e Laura Luís cruzou para a cabeça de Francisca Cardoso, que introduz a bola na baliza de Patrícia Morais. No entanto, o vídeo-árbitro (VAR) invalidou o golo por posição irregular da avançada da equipa minhota.

O Sporting CP equilibrou as operações e até ao final dos 90 minutos não houve qualquer alteração no placard. O jogo foi, assim, para prolongamento.

A árbitra da partida apitou para o início do tempo extra e as equipas, já bastante desgastadas, diminuíram o ritmo de jogo. As Gverreiras do Minho, mesmo assim, mostravam maior vontade de conquistar a Taça de Portugal Allianz.

Ágata, vendo Patrícia Morais adiantada, tentou o golo, mas a internacional portuguesa fez mais uma grande intervenção. Quando todos esperavam pelo intervalo do prolongamento, Diana Silva rematou do meio da rua e colocou as leoas na frente do resultado.

Na segunda parte do tempo extra, Patrícia Morais assumiu um papel preponderante, ao negar o golo a Francisca Cardoso em mais duas ocasiões. Até ao final, as atletas bracarenses tentaram o golo do empate, mas o cansaço já era muito e foram incapazes de anular a vantagem leonina.

Pela segunda época consecutiva, o SC Braga fecha a temporada com uma derrota frente ao Sporting CP na final da Taça de Portugal Allianz.