Tenista português vence primeiro torneio do ATP Challenger Tour realizado em Braga. Sander Arends e Adil Shamasdin triunfam na categoria de pares.

Pedro Sousa conquistou este domingo o Braga Open. O tenista português derrotou Casper Ruud na final da prova por 2-1, com os parciais de 6-0, 3-6 e 6-3. Este torneio do ATP Challenger Tour decorreu no Clube de Ténis de Braga.

O nº 144 do ranking mundial dominou por completo o primeiro set, não dando hipótese ao adversário. O atleta norueguês não venceu nenhum jogo nesse período (6-0). Pedro Sousa voltou a entrar forte no segundo parcial – esteve a ganhar por 2-0 –, mas o nº 174 do mundo conseguiu recuperar e triunfar por 3-6.

Com as bancadas do court central de terra batida cheias e com a chuva a acompanhar, o terceiro e último set foi pautado pelo equilíbrio na fase inicial. Ainda assim, mostrando-se mais competente que Casper Ruud, Pedro Sousa foi mais forte e venceu por 6-3. O encontro demorou uma hora e 35 minutos.

Após o desafio, na conferência de imprensa, o terceiro melhor atleta português da atualidade confessou que foi o título “mais saboroso” da carreira, até ao momento. Questionado sobre o estado do ténis nacional, tendo em conta este triunfo e a conquista de João Sousa no Estoril Open, o jogador de 29 anos afirmou que modalidade em Portugal tem evoluído de forma positiva, atribuindo os louros à Federação Portuguesa de Ténis.

Com esta vitória, o português soma mais um título ao currículo, que já conta com três troféus conquistados na época transata. O prémio monetário atribuído a Pedro Sousa foi de 6.190 euros.

Já na vertente de pares, a vitória sorriu ao holandês Sander Arends e ao canadiano Adil Shamasdin. A dupla venceu na final, que se realizou no sábado, o uruguaio Ariel Behar e o mexicano Reyes-Varela pelos parciais de 6-2 e 6-1, em 56 minutos.

Ao longo da competição, disputaram-se vários duelos entre portugueses. No torneio individual, destaque para os confrontos entre Pedro Sousa e João Domingues nos quartos de final e nas meias-finais entre o número três nacional e Gastão Elias, que acabou por desistir com uma lesão no ombro.

A prova teve inicio no sábado, dia 5 de maio, nos courts de terra batida do Clube de Ténis de Braga, com o qualifying. Gastão Elias, Pedro Sousa, João Domingues, Gonçalo Oliveira, Frederico Silva, João Monteiro, Frederico Gil e Tiago Cação, alguns dos melhores tenistas nacionais, seguiram diretamente para o quadro principal, tendo entrado em ação a partir de segunda-feira.

O challenger da ATP, que esteve incorporado na programação da Cidade Europeia do Desporto, contou com a participação de três atletas bracarenses: José Pedro Ferreira, Gonçalo Ferreira e Hugo Maia. Os tenistas minhotos foram eliminados na ronda de qualificação.

Os dois últimos competiram juntos na prova de pares, tendo sido afastados na primeira ronda. A dupla formada por Gastão Elias e Pedro Sousa foi a melhor portuguesa, sendo que perdeu na meia-final frente aos finalistas vencidos. Para além dos tenistas da “casa”, o torneio também recebeu atletas internacionais de 11 nacionalidades diferentes.

Em declarações ao ComUM, João Mota, diretor do Braga Open, mostrou-se bastante satisfeito pela adesão do público e salientou a importância de “divulgar o ténis na região do Minho”. O dirigente não quis confirmar a realização da segunda edição do certame no próximo ano, mas admitiu que já estabeleceu contactos para que isso possa acontecer.

Com este evento, a cidade minhota recebeu pela primeira vez uma competição inserida no ATP Challenger Tour. A última prova desta categoria a decorrer no Minho tinha sido o Challenger de Guimarães, em 2013, que foi extinto nesse ano.