Não vão estar presentes, mas nunca serão esquecidos. Homenagens a Pedro Romano e a Tricky marcam a edição deste ano do torneio.

O Torneio Moisés Martins regressa à quadra do pavilhão da Universidade do Minho no dia 23 de junho. A quinta edição não conta pela primeira vez com o “pai” da prova, Pedro Romano, que faleceu no ano passado.

Ao longo da história da competição organizada pelo emblema Os Coxos, muitos jogadores têm vindo a destacar-se dentro de campo. Seja pelos golos marcados, pelas assistências feitas ou pelas defesas efetuadas, qualidade não falta aos atletas que competem no Torneio Moisés Martins.

No entanto, há dois nomes que sobressaem, não só pelo talento dentro das quatro linhas, como também pela qualidade humana que sempre demonstraram: Pedro Romano e Tricky. Os ex-membros do clube Os Coxos, que faleceram recentemente, escreveram páginas douradas na história da prova e o seu legado perdurará para sempre.

Sendo o jogador mais completo da equipa, Pedro Romano era uma arma apontada à baliza adversária, recorda Phillipe Vieira, presidente do clube e organizador do Torneio Moisés Martins. Fora da quadra sempre foi sempre o principal dinamizador, tanto do evento, como das outras iniciativas dos Coxos. Criou a prova com o intuito de reunir ex-alunos e garantir que todos estavam juntos pelo menos uma vez por ano.

Já Tricky, também conhecido por Peludinho, tinha um forte remate e uma técnica apurada. Para além disso, jogava sempre com alegria, sendo também “um brincalhão de primeira”. Tratava-se de um elemento fulcral na equipa.

Os dois ex-alunos do curso de Comunicação Social faziam uma dupla que semeava o medo nas formações contrárias. Apesar destas duas ausências, a equipa está motivada para a competição, pois, sempre que entram em campo com a camisola do conjunto coxeano, jogam pelos dois amigos. Os números 5 e 11 foram retirados para preservar a memória de ambos.

Também como forma de os homenagear, este ano, Pedro Romano, como era o “coxo” mais valioso, dá nome ao galardão relativo ao melhor jogador do torneio. Já o prémio Tricky, em memória daquele que era o atleta do clube mais letal em frente à baliza, será atribuído ao melhor marcador.

A criação do torneio surgiu como um tributo a Moisés Martins, que foi docente durante largos anos no curso de Ciências da Comunicação (anteriormente denominado Comunicação Social) da Universidade do Minho. A iniciativa pretende também reunir professores e antigos e atuais alunos.