A academia minhota acolhe 392 novos alunos, mais 14 do que em 2017.

A segunda fase do concurso de acesso ao ensino superior colocou 392 novos estudantes na Universidade do Minho. Restam 59 vagas para a terceira fase nos cursos de Educação Básica, Optometria e Ciências da Visão e ainda Proteção Civil e Gestão do Território.

Em relação à UMinho, à semelhança das colocações da primeira fase de 2018, no topo da tabela, com a média mais alta, está Medicina (18,7 valores). Sucedem-se os cursos de Engenharia Biomédica (18,2) e de Engenharia e Gestão Industrial (18,0). Na segunda fase de 2017, não foram colocados alunos em Medicina, sendo que a média mais alta correspondeu ao curso de Engenharia e Gestão Industrial (18,1).

Os dados divulgados pela Direção Geral de Ensino Superior revelam que ficam ainda a sobrar 25 vagas para Educação Básica, 19 para Optometria e Ciências da Visão e 15 para Proteção Civil e Gestão do Território. O curso de Engenharia Física foi o único sem candidatos e, por essa razão, sem colocações.

A nível nacional candidataram-se 17.109 estudantes e foram ocupadas 9.452 vagas nas universidades e politécnicos portugueses, menos 379 do que no ano transato. Os dados da segunda fase revelam que aumentou o número de estudantes na primeira opção (43%).

As instituições de ensino superior fora das áreas de Lisboa e Porto aumentaram o seu peso relativo no número de colocados, representando agora 54% (mais 1% do que no ano anterior). No total, no conjunto da primeira e segunda fases, a nível nacional, ingressaram no ensino superior público 46.070 novos alunos.

A candidatura à terceira fase do concurso nacional decorre de 4 a 8 de outubro. A divulgação dos resultados está agendada para o dia 12 do mesmo mês.