Os sindicatos ferroviários reuniram-se com o Governo, mas não chegaram a acordo. A greve da Infraestruturas de Portugal mantém-se para esta quarta-feira.

A greve da Infraestruturas de Portugal (IP), agendada para esta quarta-feira, vai realizar-se. Os sindicatos do setor ferroviário reuniram-se esta terça-feira com o governo, mas não chegaram a acordo. Está prevista a supressão dos comboios que circulam nas linhas Braga-Porto, Guimarães-Porto e Vigo-Porto.

Os efeitos da paralisação vão-se sentir a partir das zero horas. O dirigente da Federação Nacional dos Transportes (FECTRANS), José Manuel Oliveira prevê uma elevada adesão à greve. A circulação de comboios em todo o país será afetada.

A Comboios de Portugal já avisou sobre as “supressões de comboios a nível nacional”. Num aviso, publicado no site, a CP acrescenta que não serão disponibilizados transportes alternativos para os passageiros afetados. Quem adquiriu bilhete para comboios alfa pendular, intercidades, inter-regional e regional pode pedir o reembolso ou a revalidação do mesmo, sem custos, até 10 dias após o fim da greve.

Os sindicatos da IP quererem pressionar o governo a cumprir o plano de carreiras e a contratação coletiva nas empresas das Infraestruturas. O Ministério do Planeamento e Infraestruturas propôs um aumento de 54 cêntimos no subsídio de refeição dos trabalhadores. Os dirigentes sindicais consideraram a proposta “insuficiente”.