Apesar da SAD bracarense apresentar um prejuízo de 1,83 milhões de euros, relativamente à época passada, os sócios aprovaram as contas do clube.

Os sócios do SC Braga reuniram-se, esta sexta-feira, em Assembleia Geral, para aprovarem o Relatório e Contas referente a 2017/2018, que teve um saldo negativo de 656.000 euros. Os associados do Sporting Clube de Braga aprovaram as contas da época transata do seu clube, com 95,5% dos votos a favor, abstenção de cinco sócios e nenhum voto nulo.

Na época de 2017/2018, o ativo bracarense apresentou um aumento de 9 milhões de euros (passou de 48,3 milhões para 57,4 milhões); já o passivo subiu 11 milhões de euros em relação à época 2016/2017 (33,5 milhões para 44,5 milhões). Com a aposta no desenvolvimento da formação e da Cidade Desportiva, os gastos aumentaram cerca de 7,2 milhões de euros.

No entanto, as despesas com o pessoal registaram o maior crescimento (17,9 milhões de euros). A tendência do aumento, nos rendimentos operacionais, manteve-se e verificou-se uma subida de 3 milhões de euros, destacando-se, aqui, as receitas que foram adquiridas com as transmissões e com os prémios das competições europeias.

O clube justificou estes resultados da SAD através de uma nota no seu site oficial. Nesta reunião, foi possível aos socializantes verem as suas dúvidas esclarecidas, em relação ao processo de adjudicação da Cidade Desportiva do SC Braga e, com a apresentação da Auditoria Externa, em relação, também, aos exercícios findos a 30 de junho de 2016, 30 de junho de 2017 e 30 de junho de 2018.

O Conselho Geral do SC Braga, órgão que acompanhou a Auditoria, nomeou uma comissão de três elementos para seguirem o processo em permanência. Por fim, foi também aprovado o Orçamento Geral para a época 2018/2019, com 96,4% dos votos dos sócios a serem a favor.