3559 alunos aguardam uma resposta do resultado da bolsa de estudos, num total de 6558 solicitações.

O presidente da Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), Nuno Reis, revelou na passada terça-feira que 3559 alunos ainda esperam o resultado relativo às bolsas de estudo. A chegar ao final do primeiro semestre, há falta de resposta a 55% dos alunos da Universidade do Minho.

No início do ano letivo, a plataforma informática que gere as candidaturas, a SICABE (Suporte Informático ao Concurso de Atribuição de Bolsas de Estudo do Ensino Superior), sofreu uma alteração no regulamento de atribuição de apoios, implicando uma atualização nas plataformas informáticas. Essas mudanças provocaram um atraso na análise das candidaturas.

Em declarações à RUM, o presidente da AAUM sublinha que o Estado, ao alterar o sistema informático para a atribuição das bolsas, não previu este atraso, prejudicando os estudantes que estão dependentes do resultado. Relativamente ao ano transato, existem 1495 candidaturas pendentes na UMinho.

A nível nacional, 60 mil alunos aguardam ainda uma resposta. Apenas 26.994 alunos já a receberam com a garantia de que vão usufruir da bolsa de estudos. Desse número, cerca de 22 mil já receberam os primeiros pagamentos.

Os valores das bolsas de estudos variam de acordo com os rendimentos dos agregados familiares. O montante mínimo corresponde ao custo da propina na instituição que os estudantes frequentam. No máximo, um aluno pode receber até 1286€ mensais, em casos de elevada carência socioeconómica.