O primeiro debate “Reitor conversa com…” contou com a presença de estudantes. Na sessão foram discutidas matérias relevantes para a organização e funcionamento da academia minhota.

A sessão de discussão entre o reitor e os estudantes da Universidade do Minho decorreu esta segunda-feira no Complexo Pedagógico 3 do campus de Gualtar. “Vamos ter uma conversa sem fronteiras”, anunciou o reitor Rui Vieira de Castro, com a promessa da participação ativa regular dos alunos na vida académica.

No Plano de Ação 2017-2021 consta o compromisso de “promover a participação de docentes, investigadores, trabalhadores não docentes e estudantes na vida da UMinho”. Esta foi a primeira de um ciclo de sessões “Reitor à conversa com…” e teve como principal objetivo aproximar a academia minhota da comunidade estudantil. O reitor, a vice-reitora da Educação Laurinda Leite, o pró-reitor Manuel José Costa e o professor António Paisana, administrador dos Serviços de Ação Social da Universidade do Minho, estiveram presentes no debate.

Aberto à discussão de assuntos pertinentes para a organização e bom funcionamento da Universidade, Rui Vieira de Castro foi esclarecendo as várias interrogações dos estudantes e atentando nas suas sugestões. Os assuntos debatidos passaram por comissões de Curso, condições das instalações em Azurém, acompanhamento de estudantes estrangeiros e questões relacionadas com o alojamento.

Nuno Reis, presidente da Associação Académica da Universidade do Minho, participou na conversa com a sugestão de um cartão único a ser utilizado em vários serviços dentro da UMinho. A plateia de estudantes concordou com a implementação desta medida mais prática, inovadora e sustentável que Rui Vieira de Castro prometeu ponderar.

A segunda sessão de debate realiza-se na próxima quarta-feira, desta vez com a presença dos trabalhadores não docentes da UMinho. No futuro, uma das sessões será com os professores e investigadores. O reitor deixou aos estudantes minhotos um “apelo ao envolvimento ativo e participativo de todos nos lugares que lhes estão diretamente destinados por direito” e expressou a vontade de realizar este tipo de eventos com alguma regularidade.