A Sé de Braga foi invadida por calor humano graças ao Coro Académico da Universidade do Minho, ignorando-se a tempestade no exterior.

Realizou-se sábado à noite, na Sé de Braga, o tradicional concerto de Natal oferecido pelo Coro Académico da Universidade do Minho (CAUM). O espetáculo teve a especial participação do Coro infantil do Externato Paulo VI e, em colaboração com o Banco Alimentar, apelou à angariação de bens alimentares.

Nem mesmo o mau tempo que se fazia sentir na cidade demoveu os bracarenses de irem assistir ao XXIII Puer Natus Est. A Sé Catedral de Braga encheu-se para celebrar o Natal ao som do Coro Académico. Até o Reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, e representantes da autarquia local, entre outros, não quiseram perder o evento.

Pelas 21h45, as vozes acapella do coro soaram e silenciaram a plateia. Sob a batuta do Maestro Sílvio Cortez, o público desfrutou de um repertório eclético, desde grandes clássicos natalícios internacionais como “Amazing Grace” ou “Let it snow”, até a tradicionais portugueses como “Nasceu, já nasceu”.

Foi num espírito jovial e de clara solidariedade que o CAUM cedeu o palco ao coro infantil do Externato Paulo VI. Com cerca de 40 elementos, os pequenos grandes cantores, orientados pelo Maestro Armando Peixoto, surpreenderam os presentes com temas como “Menino d’Oiro”, do Zeca Afonso e “A Winter´s Tale”, dos Queen.

No final do concerto, o ComUM ainda teve oportunidade de conversar com o Maestro do Externato, Armando Peixoto, antigo corista do CAUM. No cargo há 10 anos, explicou-nos que o coro existe desde 2001 e que o mesmo se destina mais para “consumo interno”, tendo nomeadamente participado, naquela tarde de sábado, na Missa de Natal do colégio. O Maestro referiu ainda que as crianças, na sua maioria meninas, adoraram a experiência de cantar na Sé de Braga, juntamente com os “grandes” do CAUM.

Após a participação do coro infantil, o anfitrião voltou à cena para finalizar a celebração de Natal. Desta vez, acompanhado pelo som do órgão, sobressaíram solos nos indispensáveis “Agnus Dei” e “Panis Angelicus”.

 A noite não podia terminar de melhor forma com os antigos coristas presentes na plateia a serem convidados pelo CAUM a finalizarem o concerto em conjunto. Foi com alegria que os “antiguinhos”, como lhes chamam, se juntaram aos colegas para interpretarem as últimas quatro músicas do repertório. Foi notório o carinho existente entre os atuais e os antigos coristas.

Ana Paula Barros Ferreira foi corista entre 1996 e 2000. Apesar de ter sido a primeira vez que voltou a assistir ao concerto de Natal após a sua saída, foi com orgulho que subiu ao palco para interpretar os últimos temas do concerto. Fez-se acompanhar por mais cerca de 15 “antiguinhos”, recordando com nostalgia e muito carinho os tempos vividos no coro, nomeadamente as saídas que faziam ao estrangeiro. Os concertos de Natal, cuja edição já vai na 23ª, eram, sem dúvida, o ponto alto do ano, pelo facto de o local ser a prestigiosa Sé Catedral. Dessa época conserva muitos amigos, alguns reencontrados nesta noite especial.

Foi precisamente esse cruzamento de gerações entre antigos e atuais coristas que emocionou Raquel Abreu, que se encontrava no público a assistir ao concerto: “acho muito bonita esta cedência de testemunho”, considerando o coro “afinado e coordenado”, num registo intimista que levou ao recolhimento.

José Duque Nogueira / ComUM

O público teve ainda o privilégio de assistir à entrega dos coralinhos aos novos associados efetivos do CAUM, sendo esta distinção símbolo do empenho, dedicação e trabalho árduo do caloiro. Assim o afirmou o corista Armando Queirós, licenciado em Engenharia Informática, membro desde 2015, que obteve o dele um ano depois da sua entrada no coro. Entre todos os concertos que o Coro realiza ao longo do ano, o concerto de Natal é mesmo o seu preferido. Pretende manter-se no coro pelo menos até terminar o mestrado.

Este ano, a escolha social do CAUM recaiu sobre o Banco Alimentar contra a fome de Braga. Assim sendo, pediu-se a todos os espectadores que viessem munidos de bens alimentares em jeito de contribuição.

Sandra Marinho, professora da UM e membro da Direção do Banco Alimentar de Braga, mencionou que a ideia desta colaboração surgiu do próprio CAUM que os contactou. Tal gesto foi obviamente apreciado e aceite pela direção da organização, que ainda há cerca de duas semanas, realizou uma das suas campanhas nacionais.

Dia 9 de fevereiro, o CAUM celebra os seus 30 anos de existência, no emblemático Theatro Circo. Surpresas não deverão faltar.