Ex-líder do Bloco de Esquerda considera que a extrema-direita vai conseguir bons resultados nas próximas eleições europeias.

A palestra “Portugal 2019: Qual o caminho a seguir?”, inserida no Encontro Nacional de Estudantes de Ciência Política (ENECP), contou com a presença de Francisco Louçã, político e economista português. Na sessão, que decorreu na passada terça-feira, foi debatida a situação politica e económica de Portugal e os constrangimentos que podem afetar a União Europeia.

O antigo líder do Bloco de Esquerda referiu que “os prognósticos sobre as grandes democracias e países de referência falharam”. Além disso, afirmou que existem métodos “fora do sistema político tradicional”, dando o exemplo de Trump, que apresenta um populismo “diferente” ao de um “presidente que tira selfies”.

Quanto às eleições europeias, marcadas para maio, o professor catedrático acredita que a extrema-direita terá bons resultados. No entanto, Louçã considera que em Portugal os socialistas terão vantagem. “Portugal é um barco de papel na tempestade da União Europeia”, acrescentou.

A questão da violência foi também um dos temas abordados na palestra. Para o ex-deputado, atualmente vivemos no “século do medo”. No entanto, as “mulheres não devem ter medo de andar na rua” e as crianças devem sentir-se seguras quando vão para a escola.

Ainda na terça-feira, tiveram lugar outros dois painéis: Emergência de Novos Partidos em Portugal e Geopolítica: Portugal na UE e Influências exteriores. Já esta quarta-feira, os debates centram-se nas eleições europeias. O ENECP, organizado pelo Núcleo de Estudantes de Ciência Política, termina na próxima quinta-feira.