Ministro do Ambiente anunciou a entrega de 709 autocarros elétricos e a gás a várias autarquias e a criação de dez mil quilómetros de ciclovias até 2030.

O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, divulgou na apresentação da Estratégia Nacional para a Mobilidade Ativa, realizada no Barreiro, que, dos 709 autocarros sustentáveis, seis elétricos são dos Transportes Urbanos de Braga (TUB) e um dos Transportes Urbanos de Guimarães (TUG).

A iniciativa insere-se na intenção do ministério do Ambiente e Transição Energética de que, até 2030, “um terço da mobilidade terrestre de passageiros seja elétrica”.

De acordo com Matos Fernandes, este é um período de transformação. Contudo, alerta para a necessidade do contributo dos cidadãos, uma vez que ‘’os hábitos têm que ser mudados’’. O ministro do Ambiente salientou ainda que, para mudar é necessário apostar no transporte coletivo, modernizando as frotas.

Neste sentido, já foram entregues 138 autocarros no país. Aos TUB chegaram seis autocarros elétricos e os TUG receberam um. Já a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto adquiriu 15 elétricos e 33 a gás, a Carris obteve 80 a gás e Aveiro recebeu três elétricos.

O ministro do Ambiente defendeu que, para os objetivos serem cumpridos e se possa, efetivamente, mudar, é necessário investir na mobilidade ativa, pois “é a forma mais popular para percorrer curtas distâncias potenciando sinergias com o transporte público’’.

Para tal, o executivo pretende construir, a partir de abril, dez mil quilómetros de ciclovias até 2030. Desta forma, o Governo vai lançar um aviso de oito milhões de euros, a partir do Fundo Ambiental, para começar “a construção das primeiras ciclovias por promoção municipal”.