Homem do jogo

Ricardo Horta

Numa partida sem grande história, destaque para a exibição de Ricardo Horta. Para além de ter sido um dos mais esclarecidos da equipa do SC Braga, o extremo português foi o autor do golo que carimbou a conquista dos três pontos por parte dos arsenalistas. Perspicaz e oportuno, o jogador de 24 anos aproveitou para colocar termo a um jejum de golos que durava há oito jogos.

 

Em cima

Dyego Sousa

Sendo certo que não fez o gosto ao pé, tal como vem sendo apanágio ao longo da temporada, a verdade é que Dyego Sousa foi sempre uma dor de cabeça para os centrais do Vitória SC. Lutador, obrigou Miguel Silva a uma das defesas da noite nos minutos iniciais da segunda parte e isolou Fransérgio à passagem do minuto 75, tendo o médio atirado ao poste. Foi rendido por Paulinho pouco depois, debaixo de um coro de aplausos.

Mattheus Oliveira

Apesar de ter sido substituído pouco depois da hora de jogo, o médio emprestado pelo Sporting foi um dos melhores jogadores do Vitória SC. Com uma qualidade técnica acima da média, Mattheus tentou sempre ser o coordenador do carrossel ofensivo dos vimaranenses.

 

Em baixo

Welthon

Jogo para esquecer do avançado brasileiro do Vitória SC. Depois de ter apontado o tento solitário no triunfo frente ao Marítimo, Welthon poderia aparecer em Braga com a confiança redobrada, mas tal não se verificou. Perdido no meio dos centrais adversários, as perdas de bola do jogador de 26 anos foram uma constante, facto que contribuiu para a escassa produção ofensiva do conjunto de Guimarães.

Cânticos dos adeptos

É inegável que o apoio às equipas foi uma realidade bem visível durante todo o jogo, mas é impossível não se destacar pela negativa os insultos dos adeptos de ambas as formações ao clube adversário. Para além disso, os autocarros onde seguiam adeptos do Vitória SC foram apedrejados. Num jogo com intervenientes de tão elevada qualidade, acontecimentos deste género são claramente reprováveis.