Depois do bronze no Campeonato do Mundo na Califórnia, a surfista conquistou a medalha de ouro no Campeonato da Europa de Surf Adaptado disputado em Viana do Castelo.

A vianense Marta Paço sagrou-se campeã da Europa de Surf Adaptado este sábado, na praia do Cabedelo. A jovem de 14 anos, que é invisual de nascença, venceu na categoria ASVI Ladies e juntou o ouro ao bronze conquistado na categoria ASVI.

Em declarações ao ComUM, a minhota fez um balanço “muito positivo” da sua prestação na prova e destacou o fair play existente durante a semana de competição. O surf entrou na vida de Marta, que já havia conquistado uma medalha de bronze no Campeonato do Mundo em 2018, há dois anos. “Estou muito feliz por ter ganho em casa, valeu a pena o esforço. Não foi fácil, pois competi em duas categorias, mas espero que haja mais campeonatos”, rematou a surfista local.

Nuno Vitorino amealhou também o ouro na categoria na categoria AS5. O atleta mostrou-se “feliz com este resultado”, na medida em que tinha como objetivo sagrar-se campeão europeu. “Trabalhei para chegar a este resultado, O meu próximo objetivo é ser campeão do mundo, não sei se o atingirei já este ano”. Camilo Abdula, bronze na categoria AS1, e Nuno Maltez, que ficou em quarto lugar em AS4, foram os restantes elementos da comitiva portuguesa.

 

Sustentabilidade também ficou com o ouro

O Minho, mais propriamente Viana do Castelo, foi casa do surf durante uma semana, tendo o primeiro Campeonato da Europa de Surf Adaptado sido motivo de destaques dentro e fora de água. Numa semana que contou com atletas de topo mundial, os bastidores também mereceram atenções. A presença dos classificadores seniores do International Paralympic Committee (IPC) e da International Blind Sports Association (IBSA), potenciou a entrada do surf adaptado no Jogos Paralímpicos.

A competição foi ainda certificada como evento de surf sustentável pela Sustainable Tourism & Outdoors Kit for Evaluation (STOKE), que analisou a gestão sustentável, a gestão do seu impacto socioeconómico e do seu impacto ambiental. A competição foi a primeira de surf da Europa certificado em sustentabilidade.

Tiago Matos, diretor técnico da Federação Europeia, fez o rescaldo da competição e considera que “o espírito do campeonato foi ótimo”. “Tivemos atletas que se superaram imenso e evoluíram muito durante esta semana. Correu muito bem e correspondeu às expectativas”, salientou.

 

Bronze para Portugal na classificação geral

O campeonato contou com a presença de oito países, Portugal, Espanha, França, Itália, Alemanha, Grã-Bretanha, Irlanda e País de Gales, tendo a comitiva nacional arrecadado o bronze na classificação geral. Para Bernardo Abreu, selecionador nacional, o feito foi bastante positivo: “Os resultados individuais foram muito bons e, como a equipa tinha um número reduzido de elementos, o terceiro lugar também foi bom”.

A francesa Kattel Ropert, em AS5 Ladies, fez a melhor onda de todo o campeonato, pontuando 8.83.

 

Classificações:

AS1

1º Phillipe Naud (França)

2º Benoit Moreau (França

3º Camilo Abdula (Portugal)

4º Ibon Muguerza (Espanha)

5º Joseba Mercader (Espanha)

5º Chantal Pistelli (Itália)

 

AS2

1º Eric D’Argent (França)

2º Llywelyn Williams (País de Gales)

3º Maxime Cabane (França)

4º Lischka Eva (Germany)

 

AS2 Ladies

1ª Laura Dominguez (França)

2ª Lischka Eva (Germany)

 

AS4

1º Marcos Tapia (Espanha)

2º Massimiliano Mattei (Itália)

3º Pierre Pochat (França)

4º Nuno Maltez (Portugal)

5º Johannes Laing (Alemanha)

 

AS5

1º Nuno Vitorino (Portugal)

2º Angel Feria (Espanha)

3º Cedrick Montagney (França)

 

AS5 Ladies

1ª Kattel Ropert (França)

2ª Sandra Vendrell (Espanha)

 

ASVI

1º Aitor Francescena (Espanha)

2º Gwendal Halna Du Fretay (France)

3º Marta Jordão Paço (Portugal)

4º Matteo Fancchini (Itália)

 

ASVI Ladies

1ª Marta Jordão Paço (Portugal)

2ª Carmen Lopez Garcia (Espanha)

 

Geral

1º França

2º Espanha

3º Portugal