Decisão leva a população a manifestar-se junto das entidades responsáveis.

A Escola Básica de Pedralva vai encerrar no ano letivo 2019/2020 por falta de alunos. As 14 crianças matriculadas vão ser transferidas para uma nova escola, na freguesia de Espinho, e têm transporte assegurado. O anúncio foi feito esta segunda-feira por Ricardo Rio, autarca de Braga, na reunião do executivo municipal.

Para a escola não fechar são exigidos 21 alunos inscritos, como está definido por lei, sendo que têm de funcionar com turmas mistas, como já acontecia. Contudo, Ricardo Rio rejeita este tipo de regime e acredita que ” é preferível, às vezes, os alunos ficarem mais longe e terem melhores condições de ensino”.

Alguns habitantes de Pedralva compareceram à reunião de câmara para se oporem à decisão tomada em relação ao estabelecimento escolar. Porém, o edil explicou que a decisão final é sempre da responsabilidade da Direcção-Geral dos Estabelecimentos Escolares.

O autarca justificou à população pedralvense que a causa do encerramento da escola não é a falta de condições físicas, mas sim a falta de alunos matriculados para manter a instituição em funcionamento. De forma a inverter esse problema, os habitantes tentaram arranjar mais inscrições para a escola atingir o número mínimo de estudantes, mas não foram bem-sucedidos.

Durante a reunião da câmara, Bernardete Antunes, porta-voz dos encarregados de educação presentes, lembrou Ricardo Rio das promessas feitas à freguesia de Pedralva aquando das eleições autárquicas, no que diz respeito à área da educação.

Solicitou ainda ao autarca e a Lídia Dias, vereadora da Educação, “uma oportunidade” para reverter a situação já no próximo ano letivo. A encarregada de educação queixou-se de se levar “só lixo para Pedralva”, referindo-se ao aterro sanitário e as linhas de muito alta tensão que foram colocados na freguesia. Além disso, sublinhou que os pais estão dispostos a implementar medidas para que o encerramento não aconteça, pedindo a ajuda do município para o fazer.

Já os vereadores do Partido Socialista atacaram a coligação que está à frente do executivo municipal e recordaram que no passado conseguiram inverter o encerramento da Escola de Coucinheiro. A escola encontrava-se numa situação semelhante e, por isso, Artur Feio, presidente da concelhia do PS, em Braga, acredita ser possível “repetir o cenário” com a Escola Básica de Pedralva. Já Carlos Almeida, da CDU, afirma que o fecho desta instituição “é a pior solução” e pede à autarquia “medidas de acompanhamento” para evitar outras situações.