O campeão mundial conquistou a décima segunda medalha portuguesa dos II Jogos Europeus.

Fernando Pimenta ficou, hoje, em segundo lugar, em K1 5000 metros, atrás de Balint Kopasz. O limiano conseguiu, assim, a décima segunda medalha da comitiva portuguesa no Jogos Europeus, que estão a decorrer em Minsk.

Esta foi a segunda medalha do português em menos de 24 horas, depois de ter conquistado também a prata em K1 1000 metros. O limiano ainda esteve nos lugares da frente grande parte do percurso, e até chegou mesmo a estar na liderança na reta final, mas, tal como havia acontecido no dia anterior, acabou por perder a dianteira para Balint.

A prova ficou marcada pelas condições climatéricas que se fizeram sentir. Com vento que potencia ondas e dificulta o contornar das bóias, fazendo com que exista muito contacto entre os barcos, o português terminou o percurso em 21.46,554, 1,299 segundos atrás do ouro. À sua frente ficou Balint, que o ultrapassou nos derradeiros metros do sprint final. O pódio ficou composto pelo alemão Max Hoff, atrás de Pimenta por 4,021 segundos.

O minhoto confessou ser “complicadíssimo” perder o ouro perto do fim. “Dei tudo, nos metros finais já vinha com cãibras nos antebraços, já nem tinha força para segurar a pagaia. Por isso, mais do que dei era impossível. Senti mesmo o meu corpo a rebentar por todos os lados”, revelou.

Fernando Pimenta vincou que esta “é a quarta prata em Jogos Europeus, um balanço muito positivo, mesmo não chegando na melhor forma”. “Vim a Minsk competir e ganhar ritmo competitivo. Este é um bom prenuncio para o Mundial, para conseguir a vaga olímpica, o objetivo desta época”, adiantou.

Apesar disso, o atleta “queria mais”, porque é “um atleta que gosta de ganhar, que dá tudo por tudo para chegar em primeiro em todas as competições”. “Mas todos treinam para vir aqui e vencer e nós não podemos ganhar sempre”, reconheceu.

Fernando Pimenta considera que é “agridoce quando a bandeira de Portugal sobe em segundo lugar e não em primeiro”. O atleta sonha sempre em “atingir o mais alto patamar e ouvir o hino”. Contudo, não deixou de reconhecer que o “húngaro foi melhor”.

Pimenta elogiou o facto de, em cinco provas disputadas apenas falhou o pódio em K4, em Baku 2015. “Claro que é bom, claro que queria mais, mas estou ciente no meu real objetivo, que é em agosto na Hungria”, concluiu.

Portugal somou, desta forma, um novo recorde de medalhas em Jogos Europeus. O anterior recorde data de 2015, quando o país luso arrecadou 10 medalhas e para as quais Fernando Pimenta contribuiu com duas em K1 1000m e K1 5000m.