Universidades do Norte de Portugal e da Galiza criam “Universidade sem Fronteiras” (UNISF) na Eurorregião. A UNISF pretende inovar o ensino superior para uma vertente mais transfronteiriça.

O projeto ‘’Universidade sem Fronteiras’’ (UNISF) junta seis instituições públicas de Portugal e Espanha e vai ser coordenado pela Universidade do Minho. Numa altura em que tem sido incentivada a criação de alianças universitárias, as instituições responderão às linhas orientadoras da formação universitária do futuro que tem como elementos cruciais a internacionalização e a multidisciplinaridade através deste projeto.

A UNISF pressupõe a criação de dois mestrados e dois doutoramentos conjuntos. Além disso, pretende-se eliminar as barreiras administrativas e burocráticas na criação de pós-graduações conjuntas, programas de estudos inovadores, cooperativos, mais criativos e com uma componente transfronteiriça e multidisciplinar. A UMinho, a Universidade do Porto, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Universidade da Corunha, a Universidade de Santiago de Compostela e a Universidade de Vigo, e a Fundação Centro de Estudos Euro-Regionais são as instituições que farão parte do projeto.

Na reunião de lançamento do UNISF, que decorreu na semana passada, estiveram presentes Laurinda Leite, vice-reitora para a Educação, Carla Martins, pró-reitora da Internacionalização da UM, Pilar de la Torre, vice-reitora de Internacionalização e Cooperação e Begoña Garcia, diretora do serviço de Relações Internacionais da UdC. A UNISF foi aprovada na última convocatória do Programa Transfronteiriço Espanha-Portugal com um orçamento total de 1.492.212,45 euros, com um auxílio do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional de 75%.