Maria de Medeiros Esteves Victorino de Almeida, comummente conhecida apenas por Maria de Medeiros, completa hoje, 19 de agosto, 54 anos. Destaca-se por ser a mais internacional das atrizes portuguesas, com colaborações no cinema americano, francês, italiano e espanhol.

Filha de um maestro e de uma jornalista, não foi a única atriz da família, acompanhada da irmã Inês de Medeiros. Passou a infância na Áustria e regressou a Portugal após o 25 de abril de 1974. Foi em Paris que fomentou o amor pela representação, ao frequentar escolas e colégios de arte. Estreou-se no teatro em 1986 com a encenadora Brigitte Jacques na peça Elvire Jouvet 40. A sua primeira longa-metragem foi Silvestre (1982), que contou com a realização de João César Monteiro.

O seu primeiro grande feito internacional seria Henry and June (1990) de Philip Kaufman. Aqui, contracena com Uma Thurman e Fred Ward. Voltaria a encontrar-se com Thurman naquele que deverá ser o filme mais reconhecido de ambas as atrizes: Pulp Fiction (1994), das mais famosas obras-primas de Quentin Tarantino.

Maria de Medeiros em Pulp Fiction

Em Portugal, teve o privilégio de trabalhar com o efémero cineasta português Manoel de Oliveira em A Divina Comédia (1991). Destaca-se, também, o trabalho na longa-metragem de Teresa Villaverde, Três Irmãos (1994). Este último galardoou Maria de Medeiros com o prémio de Melhor Atriz nos festivais de Veneza, Cancun e Valência.

Estreou-se como realizadora em 1987 com o filme Sévérine C., uma curta-metragem italiana. Mas foi Capitães de Abril (2000) que lhe trouxe o reconhecimento nacional, como realizadora e atriz. Graças a este último, foi premiada no ano seguinte com os Globos de Ouro de Melhor Filme e Melhor atriz.

Recebe ainda algumas críticas sobre o papel em Pulp Fiction, entre um elenco de excelência. Mas há que lhe dar o mérito de ter sido escolhida por um dos maiores cineastas do nosso tempo para participar num verdadeiro clássico.

O público português não lhe dá o devido valor por ser uma das figuras que mais exporta a sétima arte nacional para o exterior. É, por isso, um prazer dar a conhecer um pouco daquilo que Maria de Medeiros nos ofereceu nos seus 54 anos de vida.

Maria de Medeiros em Poulet aux prunes