As minhotas, reduzidas a dez unidades desde os 63 minutos, não conseguiram conquistar a edição de 2019 da Supertaça, disputada em Tondela.

A cidade de Tondela recebeu, este domingo, a final da Supertaça feminina entre SC Braga e SL Benfica. O clube lisboeta levou a melhor, com um golo ao abrir a segunda parte que ditou a conquista do troféu.

A primeira parte começou com um erro da guarda-redes Dani Neuhaus, mas a bracarense Shade Pratt não conseguiu aproveitar. Nos primeiros minutos de jogo o SC Braga tentou chegar à baliza das adversárias, mas o primeiro lance de perigo evidente aconteceu ao minuto 15. Um mau alívio de Dolores Silva não colocou as águias na frente do marcador por centímetros, valendo a pronta intervenção de Rute Costa. A bola acabou por entrar na baliza de guardiã bracarense, aos 21 minutos, mas o lance foi de imediato anulado devido à falta cometida sobre a internacional portuguesa.

Ainda na primeira parte, a brasileira Rayanne Machado travou Cloe Lacasse dentro da área das Gverreiras do Minho, obrigando Sílvia Domingos a marcar grande penalidade. Na marca dos onze metros, Darlene não acertou com a baliza minhota. As equipas foram para os balneários com o marcador a zero no Estádio João Cardoso.

A segunda parte começou favorável para a equipa de Lisboa. Pauleta abriu o marcador com um pontapé de fora de área, com a bola a entrar no ângulo superior direito da baliza de Rute Costa. Após o golo das águias, as comandadas de Miguel Santos tentaram reagir da melhor forma, mas apresentaram dificuldades em criar lances de perigo na baliza contrária. Ao minuto 63, o SC Braga ficou reduzido a dez jogadoras. A velocidade de Cloe Lacasse voltou a ser um problema para Rayanne Machado, que cometeu falta e viu o segundo cartão amarelo e consequente cartão vermelho. Daiane cobrou o livre e acertou no poste.

As jogadoras minhotas tentaram dar a volta por cima procurando igualar o marcador, mas a desvantagem numérica não ajudou na tentativa de conquistar a Supertaça pela segunda vez consecutiva. Já perto dos 90 minutos, Laura Luís fez um pontapé de bicicleta na meia-lua da área, porém, sem sucesso. A internacional portuguesa Vanessa Marques ainda tentou empatar, mas Dani Neuhaus fez uma grande defesa ao remate da capitã bracarense e segurou o resultado.

O SC Braga tentou repetir o resultado da edição de 2018 da Supertaça, mas foi a equipa de Luís Andrade, campeã da segunda divisão e vencedora da Taça de Portugal, que conquistou a edição de 2019 da Supertaça de futebol feminino. As minhotas focam agora as atenções no encontro da primeira mão dos 16-avos de final da Liga dos Campeões. Na próxima quinta-feira, o SC Braga recebe o Paris Saint-Germain no Estádio Municipal de Braga.