A dias de eleições legislativas 2019, os cabeças de lista do círculo eleitoral de Braga discutiram assuntos como o aumento do salário mínimo e o SNS.

Na passada segunda-feira, a RUM foi palco de um debate com os cabeça de lista, José Maria Cardoso (BE), Carla Cruz (CDU), Telmo Correia (CDS), Sónia Fertuzinhos (PS) e André Coelho Lima (PSD). Os deputados pelo distrito de Braga tiveram a oportunidade de apresentarem as suas propostas políticas ao público.

O aumento do salário mínimo foi um dos assuntos com mais destaque ao longo de todo o debate. André Coelho Lima, candidato número um por Braga do PSD, defendeu que “os ganhos têm de ser repartidos por todos”. Sónia Fertuzinhos, do PS, contra-argumentou que “o PSD manifestou-se contra o aumento do salário mínimo dizendo que ele era um perigo para a criação de emprego.”

Muitas propostas tinham como objetivo principal a valorização da formação de profissionais porque são o “futuro de amanhã”. Carla Cruz, cabeça de lista da CDU diz que se tem “feito muito pouco no que respeita a formação contínua, formação profissional. Não foi alterada a forma de financiamento”. Acrescentou, ainda, que “a forma de financiamento desta modalidade de ensino deve ser por via do orçamento de estado.”

O serviço nacional de saúde foi também alvo de discussão devido a todas as suas fragilidades. É visto por muitos partidos como o primeiro setor que precisa de ser remodelado, visto que é a vida dos portugueses que está em causa. André Coelho Lima deixou “uma mensagem que se baseia na competência e eficiência, que não houve nestes últimos quatro anos.”

Relacionado com o tema da saúde, foi discutido o valor da vida, nomeadamente, a eutanásia e o aborto. “Na defesa de alguns valores da vida, o CDS é contra a eutanásia, é a favor dos cuidados paliativos em qualquer circunstância. Votou contra e votará contra.”, defendeu Telmo Correia, cabeça de lista por Braga do CDS.

Por sua vez, José Maria Cardoso, candidato número um do Bloco de Esquerda, mencionou a problemática das alterações climáticas. Afirmou que a atual política é “uma espécie de falsos consensos, de pequenos passos, da falácia do capitalismo verde”. O Bloco de Esquerda exige que aconteça ”uma mudança de paradigma, uma reversão nestes princípios”.

No dia 6 de outubro, os portugueses vão exercer o direito ao voto. Os habitantes do distrito de Braga fazem a sua escolha de entre estes e outros candidatos do distrito.