Homem do Jogo

Amílcar

Encheu a quadra, sobretudo no aspeto ofensivo. Marcou, assistiu, fez os ferros abanar e deu muito trabalho a João Freitas. O jogador que mais se destacou dentro de um coletivo sólido do SC Braga/AAUM.

Em cima

Douglas

Belo jogo do brasileiro, que bisou e esteve ainda ligado ao golo de Coelho. Acrescentou qualidade na primeira fase de construção e não pareceu incomodado pelo joelho direito totalmente enfaixado.

Bolas paradas ofensivas do SC Braga/AAUM

Jogo após jogo, a equipa de Paulo Tavares continua a fazer bom uso do trabalho semanal. Perante o CR Candoso, foram dois golos com origem em bolas paradas e mais um punhado de lances que levaram perigo às redes de João Freitas. O laboratório bracarense fez estragos no dérbi.

Pressão alta bracarense

Se houvessem grafismos relativos à posse de bola, acredito que o SC Braga/AAUM conseguia uma absoluta maioria. A pressão alta arsenalista criou muitas dificuldades ao CR Candoso que, regra geral, reteu o esférico por muito poucos segundos, acabando a entregá-lo novamente ao adversário – como no lance que deu o golo de Amílcar – ou a colocá-lo fora das quatro linhas.

Em baixo

Incapacidade do CR Candoso em ter bola

Foi uma noite cinzenta para o conjunto vimaranense. Apesar de ter tido (poucas) oportunidades de golo, o sentido do encontro foi sempre com o SC Braga/AAUM a atacar e os homens de Guimarães a defender. A incapacidade em ter bola foi constante, muito por culpa da pressão bracarense.