Há um ano sem vir a Braga, o circo Evolution está de regresso à cidade dos arcebispos.

O espetáculo “Imaginatio” tem estreia marcada para esta sexta-feira, dia 6 de dezembro, no Altice Fórum Braga. Em declarações ao ComUM, Pedro Santos, colaborador no circo há dois anos, falou sobre as expectativas deste retorno, a visão acerca do circo em Portugal e o que se pode esperar do evento nesta quadra natalícia.

Pedro interpreta a personagem de palhaço no circo Evolution. Nos bastidores do espetáculo, comenta que esta edição do evento provém de ideias que já queriam colocar em prática há mais tempo. Tudo começa com dois palhaços que entram juntamente com o público, como se fizessem parte dele. De seguida, tentam alcançar um livro que se encontra no palco, mas protegido por infravermelhos. Os dois, irrequietos, tentam, por várias vezes, ultrapassar as linhas que protegem o misterioso livro. Porém existe um mago que os impede de o alcançar. Finalmente, após várias tentativas, os palhaços conseguem chegar-lhe e abri-lo, começando assim uma narrativa que se desdobra pelas atuações que poderão ser visíveis ao longo do espetáculo.

Nos bastidores há um entra e sai de gente, como se espera que aconteça na plateia em todas as sessões que o circo está a preparar. Pedro, um “assumido aficionado” da arte circense, revela que os portugueses gostam de circo, mas lamenta o facto de o público não estar “culturalmente familiarizado” com esta arte. No entanto, deposita esperança no tipo de espetáculo que a sua companhia traz à cidade, afirmando que “é uma nova forma de ver o circo”. Para além disso, a grande adesão por parte do público em anos anteriores em Braga e o sucesso de “Imaginatio” em Espanha alimentam a expectativa.

O circo é ainda muitas vezes associado à magia dos mais novos. Quando questionado sobre a importância do acordo com a Câmara Municipal de Braga em trazer alunos das escolas, o jovem sublinha a iniciativa como algo positivo. Salienta ainda que “o circo é bastante educativo, pode passar mensagens e pode ajudar culturalmente”.

Para o artista, em cada espetáculo, há sempre a finalidade de passar uma mensagem como tentativa de captar o público. O objetivo é simples: que o hábito de ir ao circo se enraíze por um longo período de tempo, fazendo com que o circo se possa “tornar algo culturalmente mais aceitável”.

Neste retorno à cidade de Braga, as expectativas não são postas de parte. O performer afirma que a equipa nutre muito boas esperanças: “das últimas duas vezes que estivemos cá, sempre por altura do Natal, tivemos boa aceitação por parte do público”.

A nova história vai ter um novo lugar. Nas últimas vezes que o circo Evolution esteve em Braga, os espetáculos decorriam no centro comercial Nova Arcada. Agora o evento sobe ao palco do Altice Fórum Braga. Sobre a mudança, Pedro refere que pode ser vantajoso, na medida em que o Altice “é muito mais central e é um sítio com muita visibilidade”. O convite, vindo por parte espaço, foi aceite com entusiasmo, visto que “é sempre bom poder voltar a Portugal, já que durante o ano é mais complicado trabalhar cá”, diz.

“É um espetáculo muito diferente do que normalmente é apresentado cá no nosso país. Há os números tradicionais de circo, trapezistas, malabarismos, números aéreos, ginastas aéreas, números de equilíbrio e números de força”, explicita, ressalvando que este show “tem um cheirinho especial”.

“Imaginatio” é um enredo “apelativo”, segundo Pedro. A cidade vai ser a nova casa da companhia por quase um mês, estando em exibição até 1 de janeiro de 2020. “Acho que as pessoas de Braga já nos conhecem e já sabem com o que podem contar”, finaliza o palhaço.