Onde Estás, Bernadette estreou a nível nacional no dia 28 de novembro. A longa-metragem baseia-se na novela de comédia de 2012 do mesmo título, da escritora Maria Semple.

O enredo inicial apresenta a personagem principal, Bernadette Fox, no auge da sua vida. A arquiteta de enorme sucesso, interpretada por Cate Blanchett, é presada por tudo e por todos os que a rodeiam durante grande parte da sua vida. No entanto, a certo ponto, algo muda: todos os que a erguiam, começam a virar-lhe as costas. O público é deixado a questionar-se como é que aquela que estava no topo está, agora, refugiada no interior da sua propriedade, com pouca (ou nenhuma) interação social.

Onde Estás, Bernadette

A história tem um percurso interessante. Bernadette tanto é vista a ser o prodígio na sua área de estudo, como, de seguida, se apresentam os seus problemas familiares com o marido e a filha e os problemas com os vizinhos. A personagem é ainda levada a embarcar numa viagem improvável que deverá ser a origem o título do trabalho.

Onde Estás, Bernadette representa um estilo de filmes adorado por muitos – dramas de adolescentes. No entanto, distingue-se de outros fotogramas, visto que a protagonista é já uma mulher adulta, quase na meia idade. Assim, apesar de abordar temas direcionados a audiências mais maduras, a longa-metragem joga, igualmente, com um sentido de humor um pouco infantil, que parece minimizar os problemas do dia a dia de uma mulher em crise de carreira. A biografia da personagem, perde, deste modo, um pouco do impacto que poderia ter e torna-se, em várias ocasiões, difícil manter o interesse.

Onde Estás, Bernadette

A narrativa é representada (quase) como se se tratasse de um documentário estilo TLC/MTV. Há uma clara referência ao enquadramento visual deste género, quando personagens se encontram em momentos de narração do passado. Muitas vezes, o detalhe é usado para alternar entre a vida de elite de Bernadette e a mesma caída em solidão.

A presença da visualidade na trama não é de deixar passar. Definitivamente, um dos pontos de destaque são as paisagens norte-americanas e oriundas do extremo sul do país. Os cenários interiores do filme encontram-se igualmente bem adornados. Transmitem perfeitamente os momentos de solidão e abandono, bem como os de conforto e ternura.

O incrível trabalho de interpretação de Cate Blanchett, Kristen Wigg, Billy Crudup e até mesmo da jovem Emma Nelson, elevam Onde Estás, Bernadette a um estatuto muito positivo. Os momentos monótonos e de pouco interesse existentes em algumas partes são compensados por um diálogo delicada e eficazmente tecido entre as personagens.