A cidade onde nasceu António Variações foi o palco de um espetáculo em homenagem ao cantor.

Celebrou-se na passada terça-feira, dia 3 de dezembro, no Espaço Vita, aquele que seria o 75.° aniversário de António Variações se ainda fosse vivo. O cantor, responsável por moldar o ambiente musical e de performance portuguesa, continua a ser celebrado ainda hoje.

O concerto, organizado pelo programa Braga Cultura 2030, contou com a participação de vários grupos culturais. Entre eles encontravam-se familiares de Variações, o Grupo de Cantares Populares do Fiscal e habitantes da terra de origem do cantor, Amares.

Para surpresa do público, dois dos oito irmãos de António Variações, Jaime e Luís Ribeiro, subiram ao palco numa homenagem a António e, simultaneamente, à sua mãe. Juntos, interpretaram o tema “Deolinda de Jesus”. A música, que o cantor tinha originalmente dedicado à sua mãe, ganhou ali um novo significado.

O cenário encontrava-se decorado com objetos alusivos à vida de António Variações. Posters de filmes contemporâneos do cantor, que talvez lhe tenham servido de inspiração. Estava também presente um retrato fotográfico de uma das maiores musas do artista, Amália Rodrigues.

O grupo musical encontrava-se caracterizado como António, com boinas, brincos, maquilhagem, padrões conjugados de forma improvável e, no caso dos homens, barba com marcas alouradas. Entre os instrumentos banais, encontravam-se em palco máquinas de escrever, tachos e panelas, e até vassouras, que tornaram a experiência mais intrigante a nível visual. A utilização destes objetos quotidianos fez referência às técnicas de produção musical que o próprio Variações empregava.

É de referir que este espetáculo conseguiu retirar do seu público imensa reação e participação. Todos presentes agiam em harmonia para melhor recordar e louvar um dos maiores ícones da música nacional.