Em relação a 2018, o número de peregrinos que partiu de Braga aumentou. O Caminho da Geira e dos Arrieiros “contribuiu de forma decisiva para a subida registada.”

Mais de 700 pessoas iniciaram o percurso em Braga, através diferentes caminhos, mais 192 (32,3%) do que no ano anterior. No entanto, excluindo o novo itinerário, regista-se um decréscimo de 594 peregrinos (2018) para 559 (2019). O sucesso do Caminho da Geira e dos Arrieiros foi revelado pelo gabinete de imprensa da Catedral de Santiago.

“Estes dados estatísticos, referentes aos peregrinos que receberam a Compostela (documento comprovativo do cumprimento da jornada), significam que o Caminho da Geira e dos Arrieiros contribuiu de forma decisiva para a subida registada, ao ser percorrido por 367 peregrinos em 10 meses”, diz a Associação Caminho Jacobeu da Geira Minhoto Ribeiro.

Os portugueses constituem o maior número de peregrinos (80%), havendo também registo de italianos, suíços, franceses, brasileiros, polacos e holandeses. A maioria dos portugueses partiu de Braga (227), seguindo-se Castro Laboreiro (104), Entrimo e Ribadavia (com oito cada). A associação espanhola Codeseda Viva revelou ainda a passagem de peregrinos sem o comprovativo do cumprimento da jornada como “uma estimativa global de 850 pessoas”.

O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi reconhecido pela Igreja a 28 de março do ano passado. A Associação Jacobeia do Caminho Minhoto Ribeiro e a Associação Codeseda Viva pretendem a sua oficialização até ao Ano Santo Jacobeu de 2021.

As organizações alertam que o caminho não possui rede de albergues, nem está marcado na totalidade com setas amarelas, pelo que os peregrinos devem usar GPS e ter redobrados cuidados no planeamento e preparação.