Estatísticas pouco favoráveis para as aspirações dos vimaranenses

A participar pela 13ª vez na Taça da Liga, ou como agora é denominada, Allianz Cup, o Vitória SC prepara-se para jogar a sua segunda meia-final nesta competição, e contrariar o resultado da primeira vez em 2008/2009 onde foi derrotado pelo SL Benfica. A depender pelas estatísticas, o cenário revela-se complicado para os vimaranenses.

A contabilizar todas as edições, os vitorianos participaram por nove vezes na fase de grupos, duas na fase final e outras duas nas eliminatórias. Foram 38 as vezes que o símbolo do rei subiu ao relvado, onde conquistou 11 vitórias e perdeu 17 partidas, a somar aos dez empates. Se pegarmos na calculadora vimos que o Vitória SC sai por cima em 28,9% dos embates, e é derrotado em 44,7% dos encontros.

No plano individual, Léo Bonatini é o melhor marcador com a camisola minhota nesta competição, com três tentos em tantos jogos, todos feitos na presente edição. O brasileiro supera assim Paolo Hurtado e Moreno, também com três golos, mas com mais minutos por parte dos dois. Tanto o peruano como o português já não estão no D. Afonso Henriques.

Por fim, Douglas é o atleta que mais minutos tem nas pernas na Taça da Liga com o equipamento vitoriano. O guardião de Ivo Vieira leva 1530 minutos nestas dez épocas por Guimarães, e pode ver o número crescer caso seja opção.

Apesar das estatísticas mostrarem um cenário menos positivo, valem o que valem. Na apresentação da edição da Allianz Cup 2019/2020, Neno desvalorizou o facto dos Conquistadores fazerem a estreia na final four, e apontou ao triunfo da competição