Kathleen Kennedy foi homenageada na noite dos British Academy Film Awards (BAFTA) com o prémio BAFTA Fellowship. A marca que deixou e continua a deixar em várias gerações foi a razão pela qual a produtora de Star Wars foi agraciada em solo britânico.

Kathleen Kennedy nasceu a 5 de junho de 1953, na cidade de Berkeley, na Califórnia. Terminou os estudos no mesmo estado americano, na Shasta High School, em Redding.

A produtora norte-americana trabalhou na televisão local de San Diego até 1979. Nesse ano, a convite de Steven Spielberg, mudou-se para Los Angeles e foi secretária da produção 1941 – Ano Louco em Hollywood. Produziu ainda, em conjunto com o cineasta norte-americano, Os Salteadores da Arca Perdida (1981) e O Fenómeno (1982).

Kathleen Kennedy

O ano de 1993 trouxe-lhe muitas vitórias. Para além de fundar a The Kennedy / Marshall Company, em conjunto com o marido, foi também quando produziu os filmes Parque Jurássico e A Lista de Schindler, grandes nomes do mundo no cinema até hoje. Mais tarde, em 2005, voltou a trabalhar com Steven Spielberg, nos filmes Munique e Guerra dos Mundos.

No entanto, só mais tarde é que a sua carreira foi transportada para uma galáxia distante. Em 2012 foi nomeada co-presidente da Lucasfilme Ltd., em conjunto com George Lucas. Foi aqui que teve a oportunidade de trabalhar na grande saga Star Wars. Para além de liderar todos os projetos, reuniu também a equipa criativa para Star Wars: Episódio VII – O Despertar da Força (2015) e as suas sequelas, bem como spin-offs, como é o caso de Rogue One: Uma História de Star Wars (2016).

Em outubro de 2019, a produtora foi nomeada comandante honorária do Império Britânico, graças ao seus serviços na produção de filmes no Reino Unido. Este ano foi agraciada com o BAFTA Fellowship, também pelo seu trabalho que marcou gerações.

Kathleen Kennedy pode parecer um nome desconhecido. Porém, a americana influenciou todos, com produções que vão desde E.T. – O Extraterreste (1982) a O Sexto Sentido (1999).