Bruno Aleixo, sucesso de rádio, televisão e internet, principalmente com Aleixo na Escola, chegou aos cinemas a 23 de janeiro. O spin-off traz consigo um género de comédia ao qual o grande ecrã não nos habituou. Apesar de se enquadrar melhor no formato de pequenos vídeos, o protagonista está longe de ser um falhanço na comédia.

Um cão? Um urso? Um ewok? A essência de Bruno Aleixo nunca foi consensual, mas é verdade, para todo o português, que este nome é sinónimo de comédia. O natural de Coimbra, que já nos faz rir desde 2008, é convidado para um desafio diferente.

O Filme do Bruno Aleixo

Habituado aos pequenos vídeos, Bruno vê-se na oportunidade de fazer um filme “mais ou menos biográfico”. Assim, com a ajuda de alguns dos seus amigos Busto, Renato Alexandre, Seu Jaca e Homem do Bussaco, também estes conhecidos, tenta arranjar a abordagem perfeita. Torna-se, portanto, um projeto sobre ideias para outro.

Confesso que torci o nariz quando, a certo momento, me apercebi que parte da longa-metragem ia ser feita com atores reais. No entanto, faço uma vénia ao trabalho de dobragem que tão bem mantém a comédia viva e que alicerça o tom real às vozes tão características de Bruno e, principalmente, do Homem do Bussaco.

Numa manta de retalhos de estilos cinematográficos, que ainda tento perceber, as piadas estão criadas de forma excelente para toda a audiência. Com isto, não digo que quem não acompanha o grupo há algum tempo vá entender todas as piadas e referências feitas, mas indubitavelmente, diverte-se na mesma.

O Filme do Bruno Aleixo

A banda sonora, com montagens e efeitos especiais, acompanha bem o filme, sem se perder a essência tipicamente “tosca” de Aleixo. Os momentos de suspense e de alegria, por exemplo, são narrados com os sons o mais típicos possível, o que, mais uma vez, para quem está familiarizado com os trabalhos deste grupo, faz todo o sentido e resulta bem.

Apesar de achar que este género resulta melhor nos formatos originais de Bruno Aleixo, o passo arriscado na carreira, felizmente, “não saiu cocó”. De menino Bruno a Senhor Urso com 62 anos, a personagem nunca deixa de ter piada.