As irmãs Green da série Friends voltaram a reunir-se no novo projeto The Morning Show, que estreou a 15 de novembro de 2019. Jennifer Aniston e Reese Witherspoon brilham no formato da Apple TV.

A produção original surpreende com um enredo ágil sobre assédio e poder. A série resume exatamente o que a televisão precisa neste momento. A trama sólida consegue envolver o espectador episódio após episódio e deixa sempre algo para refletir. A fórmula é certeira.

The Morning Show

The Morning Show ficcionaliza uma realidade dolorosa e converte-a em televisão de grande qualidade. O movimento #MeToo é a catapulto para o enredo: Mitch Kessler (Steve Carell) é demitido por assédio sexual. Até então, apresentava, há 15 anos, um programa matinal de sucesso com Alex Levy (Jennifer Aniston). Após o sucedido, a jornalista esforça-se por manter seu emprego como pivô principal, mas depara-se com uma ameaça: Bradley Jackson (Reese Witherspoon). É a narrativa da podridão por detrás das câmaras no mundo televisivo.

As intrigas e conspirações que nascem a cada capítulo são um dos pontos fortes. A evolução dos acontecimentos é espantosa e os diálogos são poderosos. Não é fácil trabalhar um assunto do momento sem cair na monotonia, porém, Jay Carson surpreende. O guião é extremamente sedutor e explosivo, apesar de demorar a afirmar-se nos primeiros episódios.

The Morning Show

A cereja no topo do bolo é, sem dúvida, o elenco. Jennifer Aniston já conquistou há muito o seu lugar de “America’s Sweetheart”, mas neste projeto consegue perceber-se o quão boa atriz ela realmente é. É maravilhoso ver a faceta revoltada que nos é oferecida e não é de estranhar a vitória nos SAG Awards, na categoria de Melhor Atriz numa Série Dramática, bem como a nomeação ao o Globo de Ouro.

Reese Witherspoon não fica nada atrás. Há bastantes cenas que as personagens de ambas partilham as atrizes são dignas de aplauso. A dualidade da relação é o íman que prende o espectador à trama. Steve Carell também mostra mais uma vez que seu trabalho como ator de drama é de um nível tão alto como as atuações dentro da comédia. De um modo geral, cada personagem e linha narrativa dão um ritmo coeso à série.

Apesar de The Morning Show não ter o enredo mais criativo, a abordagem e o desenvolvimento do mesmo são admiráveis. O elenco por si só já torna a série apelativa e os dez episódios da primeira temporada confirmam as expectativas. A produção da Apple + atinge então a fusão do que é sério e entretém o espectador.